Nas entrelinhas ficou uma pergunta!

Publicado: 27/07/2010 por Claudemir Freire em Artigos

Porque os dois dirigentes do mais alto escalão da Ferrari estão dizendo em defesa de sua equipe que:

Domenicali:

Só demos a Massa as informações sobre a situação e como ele estava envolvido nela. Nós vimos no passado que algumas situações podem não dar o melhor resultado para a equipe, e foi essa informação que demos, para que os dois pudessem entender e perceber o que é melhor para a equipe.

Montezemolo:

Isso tem acontecido desde os tempos antigos. Portanto chega dessa hipocrisia, apesar de eu achar que algumas pessoas gostariam de ver nossos pilotos se eliminando, mas esse não é o caso para mim e para nossos fãs.

O que parece ter ficado nas entrelinhas dessas duas frases é:

Alonso depois do “isso é ridículo” teria feito pressão na equipe para haver a troca imediata de posições e com uma possível negativa da equipe começou a dizer que iria para cima do Felipe Massa e não se responsabilizaria pelo acontecido se ambos saissem da pista.

Quando Rob Smedley avisa o Felipe Massa sobre Alonso estar mais rápido, numa clara menção de que era para deixar passar, ele logo em seguida entra no rádio e diz: Desculpa Felipe!

Remontando a idéia de que houve uma guerra nos bastidores da equipe e Alonso saiu vencedor, não apenas da corrida, mas dá divisão de forças nos bastidores, impondo claramente seu poderio financeiro vindo do Banco Santander e sua posição na tabela do campeonato.

Tentando entender nas entrelinhas, a indignação clara de Rob Smedley é mais sintomática que a cara de derrotado de Massa no pódio, principalmente quando reintera no rádio que: Felipe está de volta!

Então pergunto a vocês, será que a própria Ferrari não se viu coagida a fazer o que Alonso queria e para não perder os pontos do campeonato e uma possível reprimenda do Santander, sucumbiu de forma grotesca e imoral ao pedido do espanhol e ainda teve que assumir todos os riscos e ter mais uma vez sua imagem arranhada ?

comentários
  1. tomasf1 disse:

    A Ferrari valoriza mais Alonso desde a largada em Bahrein, quando todos estavam zerados e iguais.
    Massa sabia disso, então se ele reclamasse seria cara de pau.
    Poderia deixar sua moral em alta e sair da Ferrari, mesmo indo para a Toro Rosso ou qualquer outra equipe insignificante, mas mostrando que não é piloto que não lhe dão respeito e que deixam passar por cima dele.

    Rubens, passou por isso, dois anos depois saiu, mais três anos depois voltou a vencer. Está aí, ele pelo menos teve a atitude de sair da Ferrari e encarar outros aspectos.

  2. Flavio disse:

    Segundo o comentarista da Jovem Pan Claudio Carsughi, teria havido antes da corrida uma conversa de Domenicalli com os dois pilotos na qual ele teria dito a Massa que devido a pontuação no campeonato a equipe passaria a priorizar o Alonso.

    Então se isso for mesmo verdade, o que é estranho é o porquê do Massa não ter entregado a posição naquela primeira tentativa do Alonso.
    Talvez porque ele e o seu engenheiro quiseram deixar bem claro para todos a situação, vide a mensagem explícita “vc confirma que entendeu a mensagem?” e o “Sorry, Felipe”.

    Aqui vai o link do comentário do Carsughi:
    http://blogs.jovempan.uol.com.br/carsughi/2010/07/26/tiraram-a-vitoria-do-massa-2/

  3. Ffigeiredo disse:

    Claudemir.
    Acredito nisso aí não.

    Com certeza o Alonso fez uma grande pressão na equipe. Mas se ele vai pra cima, bate, e tira os dois da corrida, com certeza ele teria que arcar com as consequências desse ato.
    Na China ele já havia se arriscado assim e levou a melhor. Mas se desse errado agora, certamente ele levaria uma carcadaça.

    Acredito que ele tenha feito pressão, por já haver algo previamente combinado, ainda que tacitamente.
    Como Felipe estava na frente dando uma de “migué”, então veio a ordem.

    Fernando

    • Anselmo Coyote disse:

      Nada como um dia após o outro, permeados por una noche… rsrsrs.

      A cada momento vamos lembrando de certas coisas… Ah… essa maldita memória!!!
      Direto ao assunto. O Massa jamais hostilizou o Nada Sei por causa de Cingapura, mas hostilizou o Nelsinho no kartódromo. Ok. O beneficiado não sabia de nada, pensou ele (pensamento idiota, de retardado, obviamente).

      Agora o Nada Sei disse novamente que nada sabia – lembram que no rádio ele perguntou se o Massa havia perdido uma marcha?… rsrs. Pois é, Massinha – ele continua nada sabendo, ou melhor, o Nada Sei.

      E não é só. Na pre-temporada o Massa disse, claramente para menosprezar o nível de relacionamento que teve com o Kimi: em uma semana eu conversei mais com o Nada Sei do que conversei com o Kimi em três anos. Verdade. Mas, e daí, eu me pergunto?

      Primeiro: Por quê o Kimi não quis conversa com ele?
      Segundo: E essa conversa de três anos condensada em uma semana foi proveitosa? Falou-se a verdade? Estabeleceram-se laços de respeito e lealdade? O que valeu para o Massa essa conversa?

      Ao lado do Kimi, que era campeão, ele correu em paz, pode evoluir como piloto, disputou o título de 2008 e nunca teve que se submeter a esse papelão que manchou-lhe a carreira.

      O que ele fez em 2007 foi retribuído na mesma medida na China em 2008 na maior paz… tudo certo.

      E agora? Será que ele tem alguma coisa a dizer ao Nada Sei? E a ouvir dele?

      E aquelas palhaçadas do Galvão dizendo que a Cosa Nostra amava o Massa, que ele almoçou com o Montezemolo, jantou com o Domenicalli, tomou café com não sei quem?

      Realmente. A Cosa Nostra mostrou todo o seu amor ao Zacarias.

      São tantas perguntas sem respostas.
      Mas, uma resposta genérica é certa para todas as perguntas: quem planta colhe!

      Abs.

      • Ffigueiredo disse:

        Coyote,

        O mesmo que eu disse do Nelson Ângelo, eu digo do Massa. Quem muito abaixa, mostra a bunda.
        O cara tem que ter sangue no olho. Saber se posicionar.
        Essa é a diferença dos campeões para os Meninos.
        Não é caráter, não é carisma, nem toda a baboseira que falam dos ídolos.
        O Senna sabia se impor. O Prost sabia se impor. Quando bateram de frente foi um “Deus nos acuda”.
        O Piquet sabia se posicionar, quando via que o negócio não ia ficar bom pro lado dele, saía fora, sem medo algum de arriscar. Vide ida para a Lótus.
        É o que o Webber está fazendo na RebBull. Fazendo xixi no poste. Marcando território.
        Se abaixar a cabeça, os caras montam.

        Fernando

  4. Bem vindo ao blog Fernando.

    Dê uma passada nesse link e apresente-se para nós.

    https://ultrapassagem.wordpress.com/2010/07/21/quem-sao-voces/

  5. É uma teoria da conspiração apenas, Fernando.

    Mas nada impossível de acontecer, lembre-se que na Hungria em 2007 o Alonso fez dois atos extremamente vis.

    Parar deliberadamente por um tempo nos boxes a frente do Hamilton, impedindo que este fisesse sua segunda volta lançada.

    E chantagear Ron Dennis com o caso Stepneygate se ele não desse a ele o título e as regalias de primeiro piloto.

    • Filipe disse:

      O problema da sua tese é quando isto aconteceu? Qualquer comunicação mais esquentada do Alonso com a equipe estaria nas mãos da FOM e seria usada (como foi o “isto é ridiculo”). A tese do Carsughi faz sentido, nas ultimas 2 semanas o campo do Alonso ganhou uma queda de braço para Massa ser segundão até o fim da temporada já que o espanhol tem alguma chance de titulo e o brasileiro está “eliminado”, o que inclusive explicaria a irritação do Alonso no radio, não é fácil afinal fazer uma troca dessas discretamente e o Massa impediu eles num momento que o marrentinho se posicionei bem para isso.

  6. Fernando Kesnault disse:

    Será que chegou a este ponto??? Não creio vendo a tabela de pontos e a sistematica de o Alonso sempre ser mais rapido nos treinos é uma questão de lógica para poder disputar o título e o Massa tava ali de pentelho. Um abraço a todos.

  7. Joao disse:

    não acho que a ferrari sucumbiria aos caprichos do espanhol, acredito mesmo é tenha sido por influencia da própria direção da equipe pelo campeonato, como no caso do Rubinho em que era uma das primeiras corridas do ano e fizeram aquela sacanagem, e pelo que eu entendi quando o espanhol falou “isso é ridículo” ele se referia a ordem da equipe que falou para ele algo como pega leve depois de uma forçada que ele deu no Massa enquanto eles passavam uns retardatários, logo após isso ele abriu uns 3s de distancia do Massa e parou de atacar.

  8. Vitor, o de Recife disse:

    Meus caros, lembrem-se que estamos falando de uma equipe que demitiu campeões mundiais sem a menor parcimônia. Um lhe deu um título (Kimi); outro era a única esperança de lhe dar um depois de muito tempo (Prost). E dizem que ainda tem um outro, que deu mais títulos do que qualquer outro piloto, mas ainda assim foi convidado a sair (nao preciso dizer quem né? Qualquer coisa, vejam aqui: http://f1around.wordpress.com/2009/03/16/os-bastidores-da-aposentadoria-de-michael-schumacher-miniserie-em-4-capitulos/ )

    Por isso não acredito nessa teoria. O que aconteceu domingo foi próprio da cultura da Ferrari. A equipe JAMAIS se curvaria para um piloto; na lógica dos italianos, eles que devem se curvar ao carro, como já previa um certo tricampeão brasileiro.

  9. Allan Wiese disse:

    Sinceramente? Eu já não sei mais o que penso sobre o assunto.
    Inicialmente condenei a atitude da Ferrari por priorizar um piloto tão cedo no campeeonato juntamente com a de Massa por se deixar usar obedecendo a ordem.
    Porém, como os amigos já colocaram por aqui, sabe-se que Massa não esta em um bom ano e que seu desempenho depende muito dos pneus que calçam sua F10, o que não ocorre com Alonso. É uma linha tênue entre a validade da jogada pelos seus benefícios e a injustiça esportiva cometida com todos os espectadores do esporte. O lado esportivo foi o mais prejudicado, com certeza.
    E Alonso, que já tem curriculum específico na área, além de um empresário com curriculum mais rico ainda, não mede esforços pra vencer e ainda tem a cara de pau de dizer que o sentimento da vitória é incomparável. Não há incoerência no discurso e nas atitudes de Alonso. Ele sempre quis 100% de atenção a partir do momento em que mostrou ser capaz e esteve em equipes competitivas. A Renault de 2005 e 2006 tinha pouca concorrência, apesar de Fisico ter ganho uma e outra prova. Já 2007 mostrou um Alonso que subestimou a capacidade de seu companheiro novato competitivo e, ao perceber que teria que disputar as corridas na pista com igualdade de condições (ou menos favorecimento, como queiram), saiu fora pra voltar a ter 100% de atenção, mesmo que em uma equipe sem condições de o fazer chegar na frente. E claro, ele estava lá novamente mirando seu grande alvo: a Ferrari. E agora que ele chegou lá, já começou a impor as suas condições. E o pior nisso tudo é que a equipe concorda com isso e, muito pior, seu companheiro tão valoroso para nós brasileiros também concorda com as condições impostas.
    E aí eu começo a ligar as coisas: Alonso e Ferrari combinam. Alonso sabe que tem valor (como piloto) e que teria apoio da scuderia que sempre priorizou um em detrimento de outro. E a Ferrari vê em Alonso um piloto que faz de tudo, não importando se legalmente ou não tão legalmente assim, pra ganhar. Ela gosta disso. Quer, intrínsecamente, passar esse “valor” (coloco as aspas por que não concordo com essa classificação) para seus clientes e fãs. E, como também já foi falado aqui, tem aqueles que gostam disso e por isso simpatizam com a equipe.
    No fim das contas a nós só cabe lamentar. Lamentar porque o intervalo entre os episódios que minam a credibilidade da categoria diminui cada vez mais. Lamentar porque esse pensamento distorce caráteres que até então achávamos ser íntegros. Lamentar porque muitas vezes somos obrigados a pensar: será que esse resultado é real? E lamentar porque a ganância do homem e sua sede por dinheiro passa por cima de tudo e de todos pra chegar ao seu resultado.

  10. Mari Espada disse:

    Calma gente! O Alonso pode ser bonito e inteligente, mas não dêem todos os créditos à ele não!
    O cara é foda, mas não pode fazer o trabalho de todo mundo… Esse plano “quase perfeito” de manipular o resultado para beneficiar a equipe é fruto de muitas cabeças! E cabeças que, quando mandam, todo mundo obedece sem pensar duas vezes.
    Pela abrangência da coisa, essa ordem veio mesmo de cima para baixo!

  11. celso gomes disse:

    Para apimentar um pouco mais a teoria da conspiração :-) enviei ao Claudemir uma pequena sequencia de snapshots que contêm uma conversa de pé de ouvido entre o Presidente do Santander e um interlocutor não identificado durante a volta 12 da corrida, dentro do box do Nada Sei. Parece que o cara está dizendo ao emburrado Presidente que as coisas já foram “positivamente ajeitadas”. Isso foi a primeira coisa que me fez chamar a atenção que havia algo rolando.

    Altamente fofoqueiro este meu post, hein? ;-) ;-)

    abçs





    • Mari Espada disse:

      Tô falando que o Alonso é tão pau mandado quanto o Massa.
      Ele não tem nada de mentor, apenas de executor!

      E manda quem pode, obedece quem tem juízo, não é verdade???

    • wilson disse:

      complementando a historia
      http://splash-and-go.blogspot.com/2010/07/caption-this_26.html

      Botín: Quero Alonso na frente! Aquele brasileiro pode atrapalhar!
      Montezemolo: Sem problemas, mas com uma condição! Quero um cheque especial mais polpudo, seguro grátis para minha família e minhas Ferraris e mais 10 anos de patrocínio do Santander.
      Botín: Fechado!

  12. celso gomes disse:

    Ôpa, dois ABCistas no pedaço. Bacana Mari.

    abç

  13. Mari Espada disse:

    Opa, saudações! =)

  14. Só dá ABC ?

    Sou daí, Rudge Ramos em SBC foi onde nasci, mas rodei esse estado, Sumaré, Valinhos e capital, mas eu tô de Bahia, rsrs.

  15. wilson disse:

    Ligue os pontos…

    1. A equipe que é alvo da investigação chama-se Ferrari;

    2. A FIA é presidida por Jean Todt, 16 anos de Ferrari e que, entre outras coisas, assumiu a responsabilidade pela marmelada de 2002;

    3. A reunião do Conselho Mundial acontece no dia 10 de setembro, sexta-feira de treinos livres para o GP da Itália;

    4. Ao “Daily Mail”, Bernie disse o seguinte: “Concordo com qualquer pessoa que defender o banimento dessa regra [que proíbe ordens de equipe]. Fazemos as pessoas chamarem isso de equipe. Ambos os carros devem ser os mesmos. Os pilotos vestem as mesmas roupas, todos parecem um time, uma equipe que está correndo. Acredito no que os dirigentes fazem quando estão na equipe e o modo com que conduzem seus times é problema deles. É claro que, se fizerem algo perigoso, estarão com problemas. Caso contrário, devem apenas relaxar.”

    Deu um desenho redondo? Pois é, agora jogue orégano e tomate por cima e leve ao forno.

    by fabio seixas em seu blog

    • celso gomes disse:

      Una vera pizza italiana, hein Wilson!

      Coisa de carcamano.

      abç

      • wilson disse:

        Carcamano

        1) No Brasil, um Indivíduo oriundo da Itália (Pejorativo);

        2) No Estado do Ceará, vendedor ambulante de tecidos e artigos de armarinho;

        3) No Estado do Maranhão, pessoa de origem árabe.

      • Will disse:

        Preciso!!!

  16. wilson disse:

    avisa o Daniel Lima que vou trocar o prato italiano: em vez de massa vou de pizza.

  17. Anselmo Coyote disse:

    Aí, moçada.

    Para desopilar os respectivos fígados.

    Querem ver pilotos de verdade e flashes de uma corrida realmente legal, pouco importando quem ganhou? É curtinho o vídeo – só 4 min.

    Prestem atenção ao que dizem Piquet (3’31”) e Senna (4’01”), respectivamente… kkk. Dois gigantes, sem dúvida alguma.

    E vejam as ultrapassagens, a batida… tudo muito legal.

    Ah… e ao Prost empurrando o carro no final, claro… Coitadinho… rsrs.

    Abs.

    • Anselmo Coyote disse:

      Esqueci do link (cabeção)… Sorry guys…rsrsrs!

      Taí…

      Abs.

      • Sirlan Pedrosa disse:

        Coyote,

        Valeu. Grande momento do Brasil na Alemanha.

        Naquela altura do campeonato de 2006 Piquet só tinha uma vitória e resolveu não abrir mais os acertos com Mansell, porque na corrida anterior em Brands Hacht o inglês tinha jogado o carro em cima do brasileiro e vencera.

        Na Alemanha Piquet e os engenheiros dele armaram uma com Mansell e entraram no boxe antes de previsto e na volta que ele entraria,prejudicando a estratégia do inglês.

        Vejam o desespero de um membro da equipe de óculos escuros e fones de ouvido quando Piquet para no boxe (a partir dos 46s do vídeo).

        Grandes lembranças….

        Um abração,

        Sirlan Pedrosa

      • Sirlan Pedrosa disse:

        Onde está 2006 leiam 1986 claro….risos

      • Anselmo Coyote disse:

        É isso aí,
        O Piquet começou legal, como membro de uma equipe, passando informações, acertos etc. Sacaneado uma vez foi o que bastou para mudar de postura. Vou fazer o meu bem feito, vou ganhar e foda-se todo o resto. E teve culhões para sustentar.

        O babaca do Massa foi dar uma de cavalheiro, por anel de ouro em focinho de porco, abaixou demais e deixou os fundilhos de fora. O resto… (bem, resto é que é preciso ter culhões para fazer o que o Piquet fez… senão soa falso e ninguém acredita).

        Abs.

  18. Alex-Ctba disse:

    Sweet memories Coyote! Verdadeiros monstros q não entenderiam a sujeira q é a F1 atual. Poderiam até entender, mas não se curvariam a isso. Tanto q o Piquezão jogou td no ventilador sem pensar nas consequências para a carreira do filho, q ele investiu tanto, criando até equipe de GP2.

    Mas por falar em monstro e lendo os comentários do Coyote sobre o Kimi, Alonso etc, e o teor descontraído q tomou o post TC do Claudemir, fiquei imaginando como seria o piloto “Frankstein” ideal, dos q estão aí em atividade. Cheguei a seguinte conclusão – o piloto ideal seria um que:

    Classificasse como o Vettel

    Largasse como o Massa

    Ultrapassasse como o Hamilton

    Conservasse o equipamento como o Button

    Passasse informações aos engenheiros como o Barrichello

    E ao vencer, comemorasse como o Webber. Aquele not bad from a number two driver foi impagável. Assim como pular no mar lá em Mônaco e Saltar feito um sapo, ou canguru se preferirem, no pódio de Silverstone.

    Mas aí me perguntariam: E o Alonso? não incluiriam alguma característica do Espanhol? Sim, já q o consenso é q não existe campeão do mundo bonzinho, nosso Frankstein teria q articular nos bastidores e ter a cara de pau dele, então:

    Dissimulasse como o Alonso

    Feito, está prontinho nosso monstro. O único piloto q chegou mais próximo de reunir todas essas características, foi o Schumacher a bordo da F2004. Exclua-se aí, claro, o quesito “ultrapassagem”, já q esse atributo, foi só no início de carreira, depois o negócio do queixada era mesmo sentar a bota e vencer todo mundo na estratégia.

    Mas aí fiquei pensando: “porra, nosso Frankstein poderia ser um monstrinho do bem né?”. Então resolvi alterar a mistura e tirei o ingrediente Alonso e acrescentei no lugar uma pitada de Kimi Raikkonen. E ficou assim então:

    Se comportasse como o Kimi Raikkonen

    Um piloto q sempre primou pela ÉTICA e não tava nem aí para o oba-0ba q é o F1 business. E como fazer o bem compensa no final das contas, tá ele lá, se divertindo de rally, com os bolsos cheio de din din, cortesia desse cara aí de cima, q o Celso ilustrou inconformado com o nada sei tomando pau do Massa na corrida.

    PS: Acho q o Coyote vai concordar com o post, exceto pela pitada de Barrica rsrs

    PS II: Colocamos ali em cima, na barra de tópicos, uma pequena história do Blog e dos objetivos do mesmo. Vejam e se possível, deixem um comentário. O Post de Apresentação, está ao lado, diga quem é vc.

    • Allan Wiese disse:

      Ficou um piloto simpático, no final das contas…!

    • Claudio Cardoso disse:

      Grande Alex.

      eu so mudaria a parte de passar as impressoes do carro aos engenheiros:

      para mim se fosse o Schumacher ou o Piquet (pai obvio ne) estaria de bom tamanho.

      O Piloto que talvez mais fosse proximo dos engenheiros que a f1 ja teve foi o Schumacher.

      Ja o Piquet tb era excelente no quesito entender o carro. Nao esqueçamos que o Piquet no inicio da carreira, era piloto e mecanico. Eles pega o fusco de alguem da familia que nao lembro, tirava o motor e colocava um motor preparado por ele no carro, e no domingo tirava e colocava o normal e devolvia o carro. Quando ele foi para europa ele dormia no caminhao / garagem da equipe e trabalhava como mecanico no carro de formula, e usava as peças que sobrava do companheiro de equipe e ganhava ainda.

      Barrichello é mais auto promocao que outra coisa, esse tal tao propagado acertador de carro. Alias onde ele fez algum carro andar ? Eu sinceramente so vi que ele foi o cara que mais quebrou carro na formula 1 em relacao a companheiro.

      Nao vale dizer que o Frank Willians falou, essa semana to lendo uma entrevista do Pizzonia onde o Sir Frank falou par ao Pizzonia que ele era um dos melhores pilotos que ja viu na vida, e que ele tinha pontencial para ser campeao do mundo. Ano passado ele falou que pelos dados do Dinamometro o Motor Cosworth ia ser o melhor da categoria. Para nao dizer que to falando depois na epoca falei com o Claudemir que era a maior piada do seculo esse motor ser o melhor, e que dado de dinamometro da fabrica do vendedor nao serve de nada.

  19. Anselmo Coyote disse:

    Perfeito, Alex.

    Eu acrescentaria um atributo ao Frankenstein.

    – que ele sentisse e tivesse impressões corretas e precisas sobre a corrida, os treinos e as reações do carro, como o Nada Sei.

    Gostei disso também: (que o Frankenstein) “Passasse informações aos engenheiros como o Barrichello.”

    Creio que você concorda comigo que essas tais “informações” devem ser entendidas como “as sensações e impressões que o piloto tem da corrida e do carro, nos treinos e na corrida propriamente dita”.

    Obviamente haverá de concordar que em se tratando de um piloto com capacidade cognitiva comprometida sua capacidade de julgar também o será e o produto final de tudo isso serão “informações” igualmente comprometidas e sem qualquer valor – numa palavra, descartáveis.

    Então, tenhamos rigor conceitual. A qualidade barriquélica do Frankenstein está no núcleo do verbo, ou seja, passar informações aos engenheiros (você diz que ele faz isso – admitamos incidenter tantum que é verdade).

    Mas é de suma importância que essas informações sejam qualificadas e não descartáveis, o que justifica o atributo que acrescentei no início do comentário.

    Por fim,

    ALÕ, BARRIQUELO! VÁ PENTEAR MACACO (adoro esse insulto) … kkkkkkkkkk!!!!!.

    Abs.

  20. Anselmo Coyote disse:

    Olha a pizza aê, gente!!!!

    Leandro,

    “¿Cree que puede haber nuevas sanciones en el Consejo Mundial de la FIA?

    Estoy seguro de que no. El presidente del Colegio de Comisarios decidió trasladar el asunto al Consejo, pero no ocurrirá nada. Es una infracción que ya se ha sancionado, Ferrari lo ha asumido y ha declinado apelar, así que es un tema zanjado. No te pueden sancionar dos veces por la misma culpa.”

    Agora a pérola:

    “¿Y qué le pareció la actitud de Felipe Massa?
    Es evidente que tampoco ayudó nada a Ferrari (p.q.p), pero entiendo su postura. Es un piloto que quiere ganar cuando tiene una oportunidad, y no es la primera vez que le toca el papel de segundón (p.q.p. de novo – SEGUNDÓN é f*da e sarcástico), así que no le puede gustar lo que ha ocurrido.”

    Obs. As observações entre parênteses são minhas.

    Quanto às ordens de equipe e a existir primeiro e segundo piloto no início ou no decorrer da temporada eu concordo, desde que isso seja claro e não carcamanamente escamoteado.

    Que estas regras estejam nos contratos dos pilotos que os assinarão se quiserem.

    Que o torcedor não seja feito de idiota, levado a torcer por um piloto que a equipe sabe de antemão que não poderá ganhar aquela corrida, pois seu papel será ajudar o companheiro.

    Em suma, que isso seja estabelecido com clareza para todo mundo e não na penumbra dos porões escuros e impregnados de fumaça de charutos e cheiro de molho de tomate.

    Abs.

    PS. Adoro um Montecristo ou um Cohiba (corona) depois de uma pasta regada a vinho … rsrs.!

    PSII. Porão (leia-se pub) enfumaçado etc também é bom, desde que o som não seja da tarantella e sim do mais puro jazz ou blues… kkkkkk!!!

    • Teo disse:

      “penumbra dos porões escuros e impregnados de fumaça de charutos e cheiro de molho de tomate.”

      hahahaha…que viagem, divertido!!!

      Abço

      • Anselmo Coyote disse:

        Kkkkkk…!!! Do que vc gostou Teo?

      • Teo disse:

        rsrsrs…Da sua mente ter voado até lá e enxergado esse cenário engraçado, pois consegui enxergar tb isso:d

  21. Rodrigo Pedrosa disse:

    Essa foto de Alonso, ele ta com a maior cara de culpado, hehehe…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s