Morte na Moto 2.

Publicado: 05/09/2010 por Claudemir Freire em Notícias


Shoya Tomizawa morreu. Após cair no GP de San Marino, em Misano, o piloto foi atropelado pelas motos de Alex de Angelis e Scott Redding e teve múltiplas lesões no crânio e no tórax. Apesar dos esforços da equipe médica do Hospital de Riccione, o piloto de 19 anos não resistiu.

Logo depois do acidente, o estado do nipônico já era grave, já que não esboçou reação depois da queda. O clima de consternação cresceu diante da trapalhada dos nervosos comissários, que, ao resgatá-lo, deixaram a maca cair no chão.

Shoya foi levado com urgência ao Hospital, onde lutou entre a vida e a morte. Pouco antes de confirmada a morte do piloto — oficialmente às 14h20 locais (9h20 em Brasília) —, o médico Claudio Macchiagodena, da MotoGP, informou que foi feita uma ressucitação, o que indicou que o piloto já havia sofrido uma parada cardíaca.

A carreira — Tomizawa começou a andar em minimotos com três anos. Em 2001, começou a participar de campeonatos locais e, depois de passar pelo campeonato japonês, onde ficou com a segunda colocação em 2006, o piloto participou de etapas do Mundial na pista de Motegi, na categoria 125cc.

Em sua primeira participação, ainda em 2006, abandonou. Em 2007 ficou com a 22ª colocação e, em 2008, terminou a prova em 14º, marcando dois pontos. Ainda naquele ano, disputou uma corrida nas 250cc.

Tomizawa corria pela equipe Technomag-CIP.

Transcrição site Grande Prêmio.

comentários
  1. Anselmo Coyote disse:

    http://globoesporte.globo.com/platb/voandobaixo/2010/09/05/acidente-gravissimo-na-moto2/

    Muito triste. Ele perdeu o controle da moto, caiu e foi atropelado ao meio pela moto que vinha atrás. Dezenove anos. Uma pena.

    Semana passada morreu um garoto de 13 anos, do mesmo jeito, na categoria 250cc.

    Abs.

  2. fernando-ric disse:

    Conclusão: andar de moto é um risco maior do que o necessário, seja na rua ou nas pistas de corrida.

  3. Uma criança de 13 anos morreu semana passada em Indianapolis em um campeonato de motovelocidade, uma tragédia sem tamanho, e uma irresponsabilidade enorme na minha concepção.

    Agora um garoto de 19 anos morre de forma trágica, e o atendimento foi terrível, mostra todo despreparo dos fiscais de pista nas categorias de velocidade, isso é uma vergonha.

    • Anselmo Coyote disse:

      Assino embaixo.
      Ouvi tb que a equipe de resgate se atrapalhou e o deixou cair da maca… putz!!! O cara todo f.rrado e ainda cai da maca, muito provavelmente com os pais da garoto vendo tudo. Sem comentário.
      Abs.

  4. lugui disse:

    é sempre triste ver morrer um jovem
    todos os desportos de alta competiçao sao perigosos, uns mais que outros
    perder jovens promessas é que é triste
    um abraço para os colegas do desporto e para a familia pela perda

  5. […] Morte na Moto 2. (via Ultrapassagem) Ir aos comentários Shoya Tomizawa morreu. Após cair no GP de San Marino, em Misano, o piloto foi atropelado pelas motos de Alex de Angelis e Scott Redding e teve múltiplas lesões no crânio e no tórax. Apesar dos esforços da equipe médica do Hospital de Riccione, o piloto de 19 anos não resistiu. Logo depois do acidente, o estado do nipônico já era grave, já que não esboçou reação depois da queda. O clima de consternação cresceu diante da tra … Read More […]

    • Fernando Kesnault disse:

      Este é o típico acidente que não remete culpa à ninguém: organização, pista, pilotos, tinha que acontecer e aconteceu…..quanto ao garoto canadense de 13 anos Peter Stenz na minha concepção é um crime que deveria ter uma ação do Estado (no caso os EUA) contra a entidade que promove competições para menores de 16 anos e ao pai que é o responsável direto pela morte do garoto e não me venham com esta história que ele já está sendo punido, merece uma punição exemplar para estas coisas ridículas de imputar aos filhos desejos que vc. não concretize para si e joga a responsabilidade para cima de uma criança dizendo ainda que “ele amava o que fazia…”.
      É uma imprudência pois um garoto de 13 anos não tem perícia por melhor vontade e desejo que queira, ainda mais numa moto….

      • Claudio Cardoso disse:

        Fernando. ->

        Vc precisa ir ver o campeonato paulista de KArt, ai sim voce vai se assustar.

        A Categoria Kadet é de 8 aos 10 anos.. Vai ver uma corrida deles para tu se assustar. Nao é nada raro a gente ver os pais colocarem para andar desde os 6 ou 7 anos, para chegar aos 8 ja arrebentando. EU JA VI.

        Pior ainda é a Junior menor dos 10 aos 12. QUe ai ja é o mesmo motor do resto, so tem uma pequena restricao no carburador. Hj eu acho que nao teria coragem nem de andar na Junior Menor. Nego anda dando um no outro, nao é raro ver capotagens e o carrinho da junior menor chega aos 80km

  6. Ron Groo disse:

    Triste, só o que se pode dizer. Até porque todos sabem dos riscos de se praticar automobilismo de competição. E não são poucos. Ainda mais nas motos.
    É este risco que faz destes pilotos, vencedores ou não, heróis.

  7. Mari Espada disse:

    Por mais que existam milhares de regras para o aumento da segurança no automibilismo (principalmente Fórmula 1), a morte é um risco que se corre em qualquer “esporte radical” e, apesar de ser muito triste, todos sabem que estão sujeitos à ela…

  8. Allan Wiese disse:

    Não é das melhores notícias a se ler em um domingo de manhã…

  9. iDavid disse:

    São os ossos do ofício camaradas…

    Infelizmente, as vezes o amor à velocidade termina em tragédia.

  10. Lucas Domakoski disse:

    Realmente lamentável…morrer praticando um esporte é horrível demais…é uma paixão que acaba matando =/
    Pelo menos essas mortes sempre serão lembradas, fazendo com que os esportes em geral se tornem cada vez mais seguros. Eles morreram, porém mais esportistas serão salvos a partir de agora.
    Que Deus os tenha. =/

  11. celso gomes disse:

    Não tem jeito que de jeito nisto e por mais que haja cuidados para a melhoria das condições de segurança, nunca num esporte em que o corpo humano é submetido a forças muito superiores as que ele possa aguentar irá evitar perda eventuais de vidas. O assustador para mim é que se permitam crianças – caso do adolescente de 13 anos em Indianápolis – que não possuem a menor noção do perigo e de amor à vida, participem de competições esportivas onde a razão e o amadureciemnto tenha que prevalecer para que se evitem tragédias desse porte.

    Fui acostumado a conviver com este tipo de situação, ao longo de toda a minha vida, acompanhando os esportes a motor e por mais que esteja calejado não consigo digerir este lado negro da coisa. Sempre fica uma dorzinha no coração.

    Meus profundos sentimentos a estes dois jovens que se tornaram heróis da maneira mais ingrata possível.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s