Futuro da F-1 em cheque.

Publicado: 08/09/2010 por Allan Wiese em Artigos, Formula1
Tags:, ,

Bernie Ecclestone

Pelo menos no formato atual. Martin Whitmarsh, atual presidente da FOTA – Formula One Teams Assossiation – declarou nessa terça-feira, dia 07/09, que a categoria precisa repensar o modo como as coisas tem sido feitas nos últimos tempos pela FIA e pela FOM – Formula One Management.

Martin definiu os últimos anos mais como uma guerra do que como qualquer outra coisa e disse que esse não é o caminho a ser seguido:

A Formula 1 é boa em criar brigas e seria melhor trabalhar juntos.

Porém Whitmarsh foi mais longe e chegou à dizer que as equipes não precisam da FIA e da FOM, que elas podem se virar sozinhas.

Bernie é ótimo em fazer pressão e através dela ele consegue muitas coisas. Mas a FOTA, por estar cansada disso, está usando da mesma arma de Ecclestone para conseguir o que quer. Semana passada vimos aqui que as principais empresas que investem na categoria querem se associar para discutir os interesses em comum. Hoje tivemos essa declaração de Whitmarsh.

FOTA

Formula One Teams Assossiation

Com a validade do atual pacto da concórdia chegando ao fim e a necessidade de se discutirem as mudanças para a nova versão do pacto esse se torna um momento crucial para que os interesses da categoria estejam acima de interesses pessoais de qualquer parte envolvida. Lógico que os interesses das partes sempre irão existir, mas se esses considerarem também os possíveis interesses daqueles que dão razão à categoria – os fãs – então estaremos trilhando um ótimo caminho.

Que Jean Todt capte o recado e trabalhe em conjunto com as equipes pois penso que, mesmo com as declarações insinuando que a categoria pode se desligar da entidade, o principal motivador das declarações foram Bernie e a FOM.

Fonte: tazio.

comentários
  1. Speeder_76 disse:

    A guerra está a começar…

    Sim, creio que vamos ter um 2011 muito conturbado por causa desta história no novo Pacto de Concordia. E por causa do que aconteceu em 2009, quando as posições chegaram a um extremo, creio que ambas as partes querem dialogar, mas á sua maneira.

  2. Vitor, o de Recife disse:

    Se há alguma esperança de mudanças vai ser nessa briga de cachorro grande.Começar a discutir um regulamento decente já seria um grande avanço.

    • Allan Wiese disse:

      Vitor e Speeder_76:

      A esperança reside sim nessa briga. E Bernie está começando a sentir a pressão, como o post destaca. É uma união de fatores que podem fazer as coisas começarem a tomar um rumo mais interessante para a categoria. O fato de em 2009 as coisas terem chegado ao extremo de uma nova categoria ser anunciada deixou todos cientes de que as equipes são capazes de romper com a entidade.
      Mas a minha visão ainda é a de que o problema maior não é com a FIA mas sim com a FOM.

  3. […] This post was mentioned on Twitter by Fórmula 1 Brasil, Thiago Mattos. Thiago Mattos said: F-1: apenas uma máquina de fazer dinheiro. Isso não é esporte! RT @f1brasil: O futuro da Fórmula 1 está em cheque http://migre.me/1cWru #f1 […]

  4. Lucas Domakoski disse:

    A F1 precisa, acima de tudo, pensar nos fãs. Sem fãs não há patrocínios, não há corridas. Quanto à isso, a Nascar dá uma aula: os fãs são constantemente ouvidos, de maneira a deixar a categoria sempre melhor, além da proximidade e interatividade imensa que os fãs tem com as corridas e pilotos. É isso que falta à F1, onde tudo parece tão inalcançável, tão longe de nós, meros mortais. Acorda, F1!

  5. Mari Espada disse:

    Uau! Vai ter briga de foice no escuro, hein!
    Cabeças vão rolar… e eu quero mais é ver sangue! Porque do jeito que está não dá pra continuar.

    • Lucas Domakoski disse:

      Hahahaha, todos queremos ver sangue! A cabeça que eu mais quero ver rolar é a desse senhor com essa peruca aparente aí da foto… =P

  6. É muito simples melhorar, é só tirar o mundial de construtores.

    Imaginem:

    Cada equipe pode inscrever quantos carros quiserem, mas com um limite de 26 carros no grid.

    Os pontos não se somariam para a equipe, seria tipo Red Bull e Toro Rosso.

    Já pensou este campeonato de 2010, com 3 Ferraris, 4 McLarens e 4 Red Bulls, seriam 11 pilotos disputando o titulo e sem risco de jogo de equipe, pois não teria que somar pontos para a equipe.

    Seria um sonho…

    • Allan Wiese disse:

      É um ponto interessante Rodrigo. Poderia de fato mudar algumas coisas. Mas não creio que as equipes concordariam a tal ponto com isso. O Marketing que gera ser campeão de construtores de F1 é bastante grande…

      • Poderia ter o mundial de construtores individual, assim a equipe do campeão seria tambem campeã de construtores.

        Sem contar que uma equipe colocar 4 pilotos e eles andem na frente é muita divulgação tambem, imagine a propaganda de uma Williams em 1992 por exemplo com 4 carros, Williams 1º, 2º, 3º e 4º no mundial de construtores da F1 1992, tipo poderiam usar isso, seus carros nas primeiras posições.

        Eu acho que seria interessante.

  7. Desisto, já comentei duas vezes e não apareceu…

  8. Eduardo De Campos disse:

    É, mas na verdade quem manda, infelizmente, é o “cheque” do Bernie…

  9. Felipinho disse:

    Em se tratando do Bernie depende… de quanto vai ser o cheque?

  10. […] do esporte é uma necessidade urgente e o momento atual seria ideal para se discutir que Fórmula 1 as principais lideranças da categoria desejam para o futuro. A revalorização do lado esportivo daquela que é, pomposamente, descrita como o “máximo […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s