Patrocínios e indícios para 2011.

Publicado: 22/09/2010 por Vitor, o de Recife em Notícias
Tags:, , , ,

Hulkenberg: não basta fazer uma boa temporada para permanecer na F1

A provável transferência da seguradora alemã Allianz para a Mercedes pode provocar mais uma reviravolta na dança dos cockipits para a temporada 2011. Segundo a edição 15 do semanário eletrônico P1Mag, o fim do patrocínio pode sacrificar o jovem talento Nico Hulkenberg em prol do venezuelano Pastor Maldonado. A força do campeão da GP2 está nos petrodólares da PDVSA. A esperança de Hulkenberg, cuja carreira é administrada pelo ex-empresário do multicampeão Michael Schumacher Willy Weber, está na busca de um patrocinador que banque sua permanência na equipe de Grove. Rubens Barrichello é tido como certo para 2011.

A saída da Allianz será mais um duro golpe para Frank Williams, que já perderá o apoio do Royal Bank of Scotland, Phillips e Air Asia ao fim desta temporada. Em um cenário pessimista como este, a chegada de um piloto pagante como Pastor Maldonado faz sentido.

Sauber e Slim: acordo a ser definido a qualquer momento

Um dos postos mais especulados para 2011 é o do segundo cockipit da Sauber. Kobayashi está certo para a próxima temporada, mas o nome de seu companheiro é uma icógnita. Nick Heidfeld, que substitui Pedro de la Rosa até o fim da temporada, é um dos pilotos cotados, mas as chances da F1 ver o primeiro mexicano desde 1981 (Hector Rebaque, companheiro de Piquet na Brabham) são grandes. A confirmação de Estebán Gutiérrez como piloto reserva para 2011 fortalecem os rumores de uma possível parceria com o magnata das telecomunicações Carlos Slim e a equipe suíça.

Red Bull, Renault e Virgin exibem novos patrocinadores em Cingapura

A patrocinadora de Tony Kanaan na Indy apoiará a Red Bull em Cingapura.

Na prova noturna da temporada, a Red Bull terá estampada em seus carros a o patrocínio da loja de conveniências 7-Eleven, que exibirá sua logomarca nos defletores dos carros e macacões da equipe.

Outra equipe que terá seu orçamento incrementado a partir deste fim de semana é a Renault. Depois de contribuir com o patrocínio da Lada, Vitaly Petrov atraiu mais uma valiosa parceria para a equipe: a companhia russa de construção naval Vyborg Shipyard JSC. O patrocínio se estenderá até o final da temporada e servirá como mais um bom argumento para a permanência do russo na Renault.

Já a Virgin contara com o apoio da Antler, empresa britânica de malas para viagens. A empresa patrocinará os carros de Timo Glock, Lucas di Grassi e o reserva Jerome D’Ambrosio, além de fornecer seus materiais para os membros da equipe.

Anúncios
comentários
  1. Tem uma briga de foice nos bastidores da F1 que já respingou sangue pra todos os lados.

    A Mastercard estaria em processo adiantado para fechar um acordo com a Renault.

    A Williams estava com o contrato na mesa para assinar e ter os motores Renault em 2011, porém…

    A Renault soube que Adam Parr e Toto Wolff (atual acionista da equipe) estariam conseguindo dissuadir a Mastercard de assinar com os franceses e oferecendo mundos e fundos para a operadora ir para os carros de Grove.

    Sendo assim o fax da sede da Williams funcionou…

    Rasga esta merda de contrato, que não vai ter motor nenhum em 2011, esquece da gente, viu seus pilantras…

    Mas a Williams foi a equipe mais roubada em termos de patrocínios na F1 atual.

    Perdeu a Siemens para a Mclaren, Petronas para Mercedes (isso depois de já estar quase fechado) dizem que a Philips vai sair na Williams, mas não da f1, Autonomy para Mercedes e por aí vai…

    Então ganhar uma não vai fazer mal, né.

    • Vitor, o de Recife disse:

      É eles precisam mesmo de um patrocinador forte. Não adianta fechar contrato pequeno para estampar o carro; se fosse assim, a Lotus de 1994 faria muito sucesso. O carro parecia um caderno de classificados.

      Claudemir, sabe dizer se a Mastercard entraria como patrocinador principal? Veríamos uma Williams assim?

      • A ATT ainda será o patrocinador principal em 2011, mas não sei como é esse acordo da Williams com os estadunidenses, porque eles mal aparecem no carro e apenas dão o nome a equipe.

        Então se a master vir a fechar com a equipe de Grove eu imagino que eles devem mudar o layout do carro, afinal a sua principal concorrente a Visa é azul…

  2. Fernando Kesnault disse:

    Bom….pode parecer cruel mas a f-1 atualmente tem mais alemães (7) do que a DTM que tem seis germânicos…a saída de uns 3 (Schumacher, Glock e …) não faria mal mesmo porque dois brasileiros já tão fora da temporada de 2011…

    • Vitor, o de Recife disse:

      É… sinal dos tempos. Lá eles investiram muito em categorias de base, situação inversa à nossa. Cada um vem colhendo o que plantou. E pela mesma lógica deveremos ver muitos espanhóis chegando na categoria.

      • Mari Espada disse:

        Sem contar com o “efeito Schumacher”, que acabou influenciando os jovens pilotos.

        Já aqui no Brasil, além de não investirmos em categoria de base, quem foi o último grande heroi??? E não estou falando do filme do Schwarzenegger, hahaha.
        Como o Senna já se foi há 16 anos, aí está a consequência!

  3. Vitor, o de Recife disse:

    Off-topic: já viram a reportagem sobre o Nelsinho na revista Grande Prêmio? Interessante. Fala sobre uma proposta recebida da Virgin e da Cypher, do foco na Nascar e da recusa em correr nos ovais da Indy. Mas o mais interessante é o respeito que ele demonstra ter pelo Alonso, coisa que já tinha ficado claro na entrevista da Istoé.

    http://www.revistawarmup.com.br/edicoes/06/

    Boa sorte para ele, a Nascar é bem difícil.

  4. Mari Espada disse:

    É Vitor, o dinheiro move montanhas!
    Então o vai-e-vem dos patrocinadores traz muita coisa para se pensar…

  5. […] Patrocínios e indícios para 2011. […]

  6. É uma pena o Hulk perder a vaga, ele ta fazendo uma boa temporada com a Williams, que por sinal merecia um apoio, que apesar das crises não abandona o barco como outras por aí, leia-se Honda, Toyota…

  7. […] A brilhante sexta colocação obtida por Rubens Barrichello, ao longo de seus mais de 300 GPs disputados na F1, retratam um piloto veterano motivado como um garoto e que vem desenvolvendo um papel soberbo para uma equipe em tempos difíceis como a Williams. A posição do grid obtida pelo brasileiro abre a possibilidade de uma boa prova amanhã e pontos preciosos para elevar a posição da equipe no campeonato de construtores e, consequentemente, atrair os patrocinadores que a equipe tanto precisa. […]

  8. […] notícia, também comentada aqui, refere-se a Nico Hulkenberg. A ameaça dos petrodólares de Pastor Maldonado à vaga do promissor […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s