Considerações sobre o retorno de Räikkönen.

Publicado: 28/09/2010 por Vitor, o de Recife em Artigos, Formula1
Tags:, , ,

Fim das "férias"?

Quando surgiram as primeiras notícias sobre um possível retorno de Kimi Räikkönen pela Renault, foi impossível não avaliar as informações como mais uma boataria sem fundamento. Mas eis que depois de algumas declarações mais contidas de Eric Boullier, a prestigiosa Autosport noticia que o chefe de equipe da Renault pretende se reunir com o campeão de 2007 para um melhor entendimento.

Tudo começou com a divulgação de um elogio do finlandês à forma apresentada pela Renault em Spa, onde Kubica terminou em terceiro, perdendo a segunda colocação apenas por causa de uma falha no pit stop. Boullier confirmou os contatos do “Ice Man”, mas foi cauteloso em suas declarações. Entrevistado pela Autosport, o dirigente declarou:

É verdade que o verão já passou e temos tido mais e mais pedidos – e o cara que você mencionou [Räikkönen] está no radar agora.

Ele está no radar porque ele entrou em contato conosco.

(…)

“Precisamos pensar sobre isso. Mas a prioridade é Vitaly, e ver como ele vai se desenvolver. Se estamos convencidos, então vamos mantê-lo definitivamente. Esta é a primeira opção.

Mas existem várias outras opções, e um deles é Kimi.”

Boullier: declarações intrigantes

As declarações de Boullier são claras: há o interesse por parte de Kimi e, claro, da própria Renault. No entanto, Vitaly Petrov tem um peso muito importante na equipe. O aporte financeiro trazido pelo russo é ao mesmo tempo um complicador para as pretensões do campeão de 2007 e um suporte que a Renault não pode abrir mão sem consequências ao desenvolvimento da própria equipe.

É esta linha de raciocínio que alimenta o ceticismo dos principais insiders da categoria quanto à possibilidade da concretização da negociação. Mas outro fator seria tão ou mais determinante: qual a motivação do finlandês para o retorno? Todos nós lembramos da apatia de Räikkönen em seus tempos de Ferrari, contrastante com o piloto brilhante e combativo da McLaren, em especial na temporada de 2005. Neste sentido,  Joe  Saward foi enfático:

Há rumores sobre [o retorno de] Kimi Räikkönen, claro, mas não há razão para acreditar que o finlandês possa estar mais motivado do que ele estava em 2008 e 2009 na Ferrari.”

Livio Oricchio foi ainda mais duro em relação ao piloto, declarando que um retorno só seria motivado pelo dinheiro. Já James Allen pondera nos prós e contras da negociação, centrando nas complicações envolvendo os recursos oriundos do atual piloto, Petrov, e os custos para arcar a vinda de Kimi.

O primeiro pensamento que vem na mente é o dinheiro; Robert Kubica está no meio ranking de salários da F1, em cerca de € 7-8.000.000 por ano, mas Räikkönen costumava ganhar mais de € 30 milhões. Então, se ele está falando sério sobre um retorno à F1, ele vai ter que reduzir suas expectativas, mesmo se a Renault conseguir  um patrocinador para cobrir parte dos custos.

A segunda questão é: eles precisam dele? Renault está em 5º na tabela de construtores do campeonato, 31 pontos atrás do Mercedes. Mas a maioria desses pontos vieram de Kubica, assim como a maioria dos pontos da Mercedes são de Rosberg. A Renault gostaria que Vitaly Petrov fosse bem sucedido, mas ele teve dois finais de semana ruins seguidos em um momento desfavorável [nota: o artigo foi escrito antes do GP de Cingapura] e parece ser difícil achar que ele faça uma seqüência inteira de Grandes Prêmios de forma consistente.

Petrov: vaga cobiçada.

Vamos analisar a questão da motivação. Räikkönen sempre foi conhecido como um piloto que gostava da competição, mas categoricamente odiava o lado comercial da categoria. Uma das versões sobre as as negociações em relação ao cockipit que o finalandês ocuparia em 2010 diz que Kimi foi cotado para ser o companheiro de Lewis Hamilton na McLaren, mas teria imposto uma condição: assinaria com a equipe se estivesse livre de uma série de eventos promocionais do time de Working. Nenhum dos dois cedeu à exigência e a negociação foi frustrada, tendo o final que todos conhecemos: Jenson Button aproveitou a oportunidade e surpreendeu a todos ao trocar a Mercedes pela McLaren e Kimi, sem um cockipit competitivo, migrou para o WRC.

Teria a dura temporada no WRC realimentado o espírito competitivo perdido nos anos com a Ferrari? É uma resposta difícil de ser dada, mas é no mínimo intrigante notar como Eric Boullier tem se dado ao trabalho de descobrir.

Enfim, o que parecia ser apenas um boato ganha contornos de fortes indícios. O fato é que parece estar claro que o “Ice Man” está realmente disposto a retornar. Como explicar uma matéria publicada no site do próprio Kimi Räikkönen, intitulado “Artigo sobre uma potencial volta à F1 de Kimi (ver na seção “News” do site)? O texto, escrito pelo jornalista finlandês Heikki Kulta,  é recheado de declarações de nomes da F1, como o ex-chefe de Kimi Peter Sauber e diversos pilotos. Por que o próprio Räikkönen alimentaria a boataria se não houvesse algum interesse?

Por outro lado, é no mínimo curiosa a forma como a Renault expõe publicamente as conversações com o piloto. As negociações da categoria normalmente são feitas em sigilo; até nas mais óbvias questões há relutância em se admitidir publicamente até a negociação ser fechada. A estratégia da Renault sugere duas coisas: ou estão tentando arrancar mais dinheiro de uma conhecida fonte russa, ou desvelam as conversas com Räikkönen  para atrair desde já um patrocinador de peso.

Como todos os boatos, o tempo trará as respostas.

comentários
  1. Laysson disse:

    Essa novela vai longe. Além de forçar a entrada de mais dinheiro russo, a Renault, acredito, está tentando desvalorizar o passe do finlandês. Expor tantos entremeios torna a situação mais embaraçosa pro lado do piloto. Talvez essa boataria toda que envolve Kubica em Maranello também esteja na pauta de Boullier. Assim, a equipe ganha tempo, visto que as negociações e possíveis “quebras” de contrato já devam se aproximar de uma concretização. Não acredito muito nessa possibilidade do polonês se tornar vermelho, mas depois do ocorrido no ano passado, qualquer coisa é possível. Uma possibilidade quase conspiratória como essa, de Räikkönen na Renault e Kubica na Ferrari, além da captação de patrocínios com o tempo e especulação, manteria Petrov como um bom aporte adicional às finanças francesas. hehehehehe

  2. Fernando Kesnault disse:

    Concordo com o Laysson. Creio estar a haver algo sinistro a correr nos bastidores da f-1 com a ida do Kubica para a Ferrari e assim a Renault teria o Kimi como 1º piloto e manteria o Petrov e as fontes de renda russa.
    O detalhe nisto tudo seria para onde vai o Massa?? Tá desanimado porque está vivenciando isso no momento e não pode comentar pois seria demitido sem ter direito às verbas rescisórias estabelecidas no contrato e então seria um ano sabático para o brasileirinho??? Pode ser, pode ser.

    • Vitor, o de Recife disse:

      Fernando e Laysson, tudo é possível na F1… mas apostaria que, caso se confirme a vinda do Raikkonen, Massa permanece na Ferrari. Mas para a Renault seria certamente um grande negócio…

  3. […] Vitor, o de Recife пишет: No entanto, Vitaly Petrov tem um peso muito importante na equipe. O aporte financeiro trazido pelo russo é ao mesmo tempo um complicador para as pretensões do campeão de 2007 e um suporte que a Renault não pode abrir mão sem consequências ao desenvolvimento da própria equipe. … O primeiro pensamento que vem na mente é o dinheiro; Robert Kubica está no meio ranking de salários da F1, em cerca de € 7-8.000.000 por ano, mas Räikkönen costumava ganhar mais de € 30 milhões. … […]

  4. Leandro Magno disse:

    É, a dança das cadeiras ganha, a cada dia, novos dançarinos:
    http://www.ultimogiro.com/formula-1/schumacher-mercedes-hamilton-ritiro-mercato-piloti-2011/

  5. Mari Espada disse:

    É Vitor, ninguém dá ponto sem nó nessa F1.
    A Renault está sendo esperta de negociar com o Kimi “quase publicamente”… isso pode sim atrair grandes patrocínios e, ao mesmo tempo, mais e mais dinheiro russo na tentativa do Petrov se manter no cockpit! Ou seja, eles faturam em 2010 e 2011!

    E sem dúvida novos ares tem o poder de curar qualquer mágoa! Kimi deve estar com sua competitividade renovada e à procura de novos desafios!
    Só digo que, se o Kimi pegar a vaga do Kubica e, por sua vez, o Kubica pegar a vaga do Massa… logo o Massa deveria pegar a vaga do Kimi NO RALLY!
    Porque na minha opinião, vale mais competir de verdade em outra categoria, mas com dignidade, doque ficar aí na F1 servindo de capacho na Ferrari.

    • iDavid disse:

      Concordo com vc Mari.

      Só acho ke ele poderia ir pros lados dos States na NASCAR.

      • Fernando Kesnault disse:

        O Massa na NASCAR?? hahaha, ele não tem culhoes para aguentar ali…acostumou ser uma menininha da f-1 cheia de “não-me-toques”.

  6. Allan Wiese disse:

    Belo balanço sobre a situação Vitor.

    Agora vamos falar uma coisa: se Kimi estiver voltando pra F1 por dinheiro, vai decepcionar muitos dos seus fãs que o consideravam como um piloto no sentido mais puro da palavra. Eu incluso…

  7. Marcelo Brum disse:

    Ora, bolas! O que é que deve ter acontecido de tão grave ao “homem de gelo” para que ele perdesse o interesse pela principal categoria automobilística do mundo e ganhando uma pequena fortuna que um simples mortal, como eu, talvez jamais ponha a mão? Acho que sei a resposta. Os ares de Maranello não fizeram bem para ele. Era muita politicagem…

  8. A. Coyote disse:

    Só acredito vendo:
    1. A volta do ?Raikkonen.
    2. Uma Renault minimamente competitiva para disputar títulos.

    Não gosto (nem um pouco):
    1. Boatos.
    2. A choradeira por dinheiro na F1.
    3. A combinação das opções anteriores (aí eu detesto).

    Fui… mesmo!

    Aquele abraço.

  9. Daniel Lima disse:

    Ficarei muito feliz se o Kimi realmente voltar a F1,terei meus 3 pilotos favoritos pra torcer,Massa,Kimi e Vettel.

    Quem não deve esta gostando dessa historia é o Kubica.Muitos amigos do blog o acham o rei da kocada preta (:
    Querem coloca-lo no lugar do Massa na Ferrari,acho que ele seria pareo duro pro Alonso.

    Pois afirmo que ele não esta nem entre os 5 melhores….Massa,Hamilton,Kimi,Vettel e Alonso.
    Quero ver como o Kubica se sai com um companheiro de equipe de verdade,um certo finlandês campeão do mundo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s