Polêmica que não existe?

Publicado: 11/10/2010 por Claudemir Freire em Artigos
Tags:, ,

Na sessão de comentários do post sobre o Melhor e o Pior do GP do Japão, instaurou-se uma polêmica que não existiu, pelo menos até então. Como o nosso “cornetador oficial” Alnselmo Coyote levantou esse ponto no post eu resolvi faze-lo de post e saber a opinião de vocês.

Largando em 14º lugar o japonês voador fez uma estratégia alá Button largando de pneus duros e tentando fazer o maior números de voltas para tentar figurar entre os pontuadores da corrida. E assim foi, ficou até a volta 39 na pista, chegando a figurar em 3º lugar, até tomar uma belissíma ultrapassagem de Lewis Hamilton, onde ficou até sua parada tardia de boxes e colocar pneus macios e voltar atrás de Jaime Alguersuari e restando apenas 13 voltas tinha que ser agressivo o batante para ganhar posições e chegar aos pontos, já que Buemi também estava com a mesma estratégia e estava a frente e poderia melar a ascenção de Koba-kun.

E foi assim, com 13 voltas, pneus macios e carro mais leve que ele desenvolveu um ritmo agressivo e passou de boa, Alguersuari, Barrichello e Heidfeld, todas as 3 passadas no mesmo ponto da curva 11, dá mesma forma, apenas o espanhol engrossou o caldo e quase saíram ambos depois do choque e com carro avariado poderiamos pensar que ele não iria muito mais longe, mas foi e foi como vimos na corrida.

Já o outro personagem da polêmica teve uma largada fraca, como todos já sabemos devido aos problemas de potência de motor a Williams fez uma relação de marchas mais longas nos 3 primeiros engates, sendo assim os carros não “pulam” de uma vez e sim vão gradativamente ganhando velocidade, o que atrapalha e muito nas largadas, mas esse não é caso. E com a estratégia convencional de pneus macios e 24 voltas pneus duros para o restante da corrida, foi conservador e manteve-se nos pontos a todo tempo, um único lance de emoção foi nas 3 primieras voltas quando tentou passar o Schumacher sem sucesso e foi ficando para trás, até a parada e perder a posição de 8º colocado para Heidfeld nos boxes.

Então depois de ultrapassar o espanhol e chegar no brasileiro com pneus macios de 6 voltas e dar uma passão sem a menor parcimônia ele ainda tiraria de seu parceiro a 7º posição e não daria mais tempo de chegar no outro alemão para implicar nesse mais um risco no já tão riscado capecete vermelho do Red Baron.

Então é isso, qual é a polêmica em torno do acontecido, qual seria a diferença de ser o Barrichello, Massa ou Hamilton a tomar aquelas ultrapassagens, lembrando que dá mesma forma Alonso tomou um passão na última volta do GP de Valência na última curva do mesmo japonês, já que estava mais que claro que ele naquele momento tinha o melhor conjunto, o que não desmerece o seu arrojo e sua competência.

Assim, dado todos os dados tirem suas próprias conclusões.

comentários
  1. Rodrigo disse:

    Tenho sérios problemas em entender alguns textos deste blog, geralmente dos mesmos autores.
    Falou, falou, falou que tinha polêmica e não disse qual era a polêmica.

    • Não sendo deselegante amigo, mas será que você não leu o título do post, ele está perguntando onde está a polêmica e não dizendo que tinha uma.

      Dei apenas todos os ingredientes para que você tire suas próprias conclusões e faça um comentário coerente com suas convicções, e não esperar que eu as dê de bandeja, até porque não sou dono da verdade e não ligo para ser o tal.

      Agora se você quer saber a minha opinião pessoal é outra coisa.

      Não minha opnião foi um lance de corrida e poderia acontecer com qualquer um, como cito no parágrafo final.

      Então se agora você não entendeu, me desculpe, mas mais que isso realmente não dá pra explicar.

    • Rodrigo Pedrosa disse:

      Exatamente isso, não tem polemica, foi uma ultrapassagem de corrida simples assim…

  2. Alex-Ctba disse:

    Disse tudo Claudemir! Realmente não existe polêmica e só rolou no post anterior, pq o Coyote é apaixonado pelo Barrica. Mas o que seria de um fórum de discussões sem uma polêmicazinha? mesmo que inexistente rsrsrs

    O Koba por opção estratégica, fez o mesmo que o Kubica por necessidade no último GP. Trocaram para macios a poucas voltas do final, enquanto os adversários estavam de pneus duros desgastados a frente. Não tem como segurar.

    O mérito do Koba, foi descobrir esse novo ponto de ultrapassagem da pista de Suzuka, já que na freada da 16, o ponto tradicional, estava difícil.

  3. Marcelo Brum disse:

    Não quero ser mais um a entrar nessa polêmica, mas acho que nem tanto ao mar nem tanto à terra, companheiros. Simplesmente estamos tentando comparar um piloto que já possui 304 largadas com um que recém atingiu as suas 18. É como se quiséssemos comparar um garoto de 8 anos com um senhor de 40. O japonês certamente demonstra que tem potêncial, mas daí a desmerecer o talento do Rubinho só porque ele tomou uma ultrapassagem normal de corrida, é um pouco demais. Muita calma nessa hora!
    Assim como o Kobayashi já apareceram incontáveis nomes talentosos na F1, porém quantos atingiram a longevidade do Rubinho dentro da categoria? Ah, e antes que alguém levante a tese conspiratória de que sou defensor do Rubinho até debaixo d’água, eu já me antecipo dizendo que nunca fui torcedor do Rubinho e sempre achei que ele nunca seria um campeão. Mas isso não quer dizer que ele não possua as suas qualidades.

    Abçs!

    • Rodrigo Pedrosa disse:

      É a mesma coisa de dizer que depois daquela ultrapassagem de Rubinho em cima de Schumacher, Rubinho passou a ser melhor e tudo que o alemão fez não valeu em nada, foi apenas uma situação de corrido, melhor pra nós que vimos aquela bela ultrapassagem de Rubinho e neste fim de semana vimos o Koba-Japa passando todos.
      Queiram ou não, achando bom ou ruim,temos que admitir que Rubens tem muitas qualidades, se não ele não estava aí até hoje.

  4. wilson disse:

    olha, desculpa ai os torcedores do rubinho.
    o maximo que rubinho teria conseguido seria um titulo mundial.
    o cara não muda a cara da formula um atual, apenas mais.
    o se não jogo, o se não vale, mas por exercicio de futurologia, de hipoteses, põe o bruno senna no lugar do rubinho e provavelmente ele faria a mesma coisa.

    agora se pudessemos colocar o koba no lugar do rubinho ai provavelmente a gente teria visto alguma coisa diferente esse ano.

    Por sinal o que tah faltando na formula um é termos possibiidades de estrategias diferentes, o que não tá havendo.
    unica possibilidade no momento é ou sair de pneu macio ou de pneu duro.

    vamos ver ano que vem se a sauber com mais dinheiro consegue se sair melhor que esse ano.

    Provavelmente darão algum salto de qualidade lotus, sauber, williams.
    Perderão o rumo: toro rosso, force india, virgin continuará lá atras e hispania, bem com certeza se não fechar vai comprada por algum grupo.

  5. fernando braz disse:

    isso sim e polemica!

    http://globoesporte.globo.com/platb/voandobaixo/2010/10/11/vettel-queimou-a-largada-no-japao/

    pra mim a imagem foi clara, ele queimou!

  6. Allan Wiese disse:

    Eu sinceramente não sei se o Kobayashi guiando uma Williams em 2010 faria mais do que o Rubinho está fazendo. A Formula 1 de hoje não permite que o piloto faça tanta diferença assim. Alguns décimos podem ser descontados pelo piloto sim. Mas dizer que Kamui faria mais do que Rubens fez esse ano se aquele tivesse o carro desse já é demais. Como eu falei no post anterior: o maior problema de Rubinho é sua boca grande. Mas ele é bom. Melhor do que alguns pilotos que já foram campeões. Mas ele juntou sua boca grande com alguns azares e não conseguiu alcançar seu sonho.

  7. Mari Espada disse:

    Para mim cada um tem o seu papel nesse circo da F1, como já expliquei no post anterior.
    Adoro o Rubinho! Mas na pista admiro mesmo o Kobayashi! E não poderia ser diferente, visto que o japinha voador tem a mesma raça do meu Miltinho.
    E sobre a polêmica, você disse tudo Boss, ela não existe! Foi uma ultrapassagem normal de corrida! Maravilhosa, mas ainda assim normal.

    Não foi culpa do Barrica ter sido ultrapassado! Foi mérito do Kobayashi ultrapassar!

    Mas tem muita gente falando da ultrapassagem do Koba sobre o Barrica e ninguém fala da ultrapassagem que, para mim, foi a mais linda de Suzuka 2010.
    Aquela que o Hamilton fez no Koba na saída dos boxes, com uma manobra típicamente arrojada! Mas como a zica está presente na vida do meu querido piloto, ela foi apagada pela falta de uma marcha e, consequentemente, de força para levar esse ritmo maravilhoso à frente.

    É assim a vida na F1… todos tem seus altos e baixos.

    Beijos!!!

    • Allan Wiese disse:

      Falta de 3 marchas Mari. Hamilton tinha só a 4ª, 5ª, 6ª e 7ª marchas…

      • Anselmo Coyote disse:

        Dessa eu não sabia… pensava que que havia perdido apenas a 3a.

        Mas me fez lembrar que um certo piloto ganhou uma corrida na qual rodou voltas e voltas apenas com a 6a marcha.

        E ainda de outra que esse mesmo piloto ganhou sem freios. No final da corrida ele falou com o Maurício Gugelmin, que não acreditou e foi conferir e disse ter até arrepiado quando pôs a mão no disco de freio dele e viu que ele estava simplesmente gelado – isso, mal a corrida tinha terminado.

        (Momento corneta)… Isso e otras cositas mas foi feito por um piloto que correu cerca de 10 anos na F1. Alguém tem aí alguma história parecida com essa ou desse naipe para contar a respeito de um outro piloto que está por aí há 20 anos? rsrsrs!

        Abs.

        Abs.

      • Allan Wiese disse:

        Hahaha Coyote, você não perdoa.

        Senna era demais. Fora do comum. Simplesmente o melhor.

        E Hamilton tinha só da 4ª em diante, por isso perdia tanto tempo nas retomadas… Uma pena. Ia ser bonito o encontro entre Lewis e Fernando.

      • celso gomes disse:

        Allan

        Segundo entrevista que ví com o Withmarsh, no post race da BBC, o Hamilton foi instruído a não usar as marchas abaixo da terceira que estava com problemas. Na realidade ele tinha a primeira e a segunda. Poderia usar essas duas em caso de extrema necessidade (rodada, saida de pista ou coisa semelhante).

        abç

    • Anselmo Coyote disse:

      Taí uma verdade. Ultrapassagem perfeita do Hamilton mesmo. Digo isso com muita tranquilidade, pois todos aqui sabem desde 2009, quando o Kimi saiu, que eu torceria pelo Hamilton. Mas foi a ultrapassagem de um excelente piloto a bordo de uma Mc Laren sobre um estreante a bordo de uma Sauber. Preciso dizer mais alguma coisa?
      Abs.

    • Marcelo Brum disse:

      Mari, aquela foi mesmo uma ultrapassagem ao melhor estilo Hamilton! Uma pena que não deu para repetir em cima do Alonso.

      Outra coisa: se aqui no Blog nos temos o Wilson zicando o Hamilton, na Globo nós temos o Galvão Bueno. Você viu ele narrando a largada??? Nooossa!!! Achei que o Hamilton havia queimado a largada, da maneira como ele narrou. A primeira coisa que disse quando as luzes vermelhas se apagaram foi: “Olha o Hamilton como jogou o carro pro lado!!!!” Como se quisesse dizer: “Segura o homem aí!!!” Parece que ele fica muito preocupado com o Hamilton e só se satisfaz quando o Hamilton erra. (hehehe)

      Isso sem falar na forma como ele tentou achar uma desculpa para o Massa. Enquanto o replay não veio ele culpou todo mundo.

      Mas uma coisa é certa: Não adianta zicar que ele é o cara! Se não ganhar esse ano, ganha ano que vem.

      Abçs!

  8. Anselmo Coyote disse:

    Rsrsrs.

    Polêmicas são produtos humanos. A corrida estava uma m.rda e eu resolvi polemizar, principalmente porque o meu queridinho Kobayote deu uma bicuda no capacete de certos pilotos, dentre eles o Rubinho (rsrs).

    Mas, porque o Rubinho? Ora… simples demais.

    Primeiro, porque ele é um falastrão.

    Segundo porque ele é a prova viva de que estar há duas décadas na F1 quer dizer muito pouco ou nada. Apenas mostra que algumas equipes não puderam arriscar ou não quiseram trocar seis por meia dúzia.

    Por qual motivo uma equipe trocaria Rubinho por Fisichella ou Badoer? Qual diferença faz?

    Agora dizer que o Kobayashi não faria melhor que ele na Williams é querer nivelar por baixo. O Rubinho está ha 20 anos dando prova de incompetência. O outro sequer teve uma chance. Como assim, então, comparar os dois?

    Todo mundo achava que o Rubinho era melhor do que o Button etc e tal, apesar dele ter apanhado dele por 2 anos. Quando os dois pegaram o mesmo carro, o que aconteceu? O superacertador não esteve à altura do Brawn e perdeu não só para o Button que tinha um carro igual, mas também para o Vettel que tinha um carro infinitamente inferior.

    Eu sou corneteiro mesmo, todo mundo sabe disso. Mas, numa boa, eu procuro ter algum sentido razoável no que eu falo.

    Vamos deixar de pachecagem.

    FORA RUBINHO!!!… Tem muitos pilotos jovens precisando de uma chance.

    Abs.

  9. Allan Wiese disse:

    Coyote, não estou dizendo que Kobayashi não é mais piloto que Rubens. Eu também acho isso (mesmo discordando de você e achando o Barrichello um bom piloto). O que eu estou dizendo é que acho difícil que Kamui tivesse conquistado algum resultado mais expressivo do que o fez Rubens esse ano. A Williams (tecnicamente) não permitiria.

    • Felipinho disse:

      “A Formula 1 de hoje não permite que o piloto faça tanta diferença assim.”

      Então existe muita diferença entre o equipamento entregue pela Renault para o Kubica e o Petrov?

      • Allan Wiese disse:

        Entre companheiros de equipe sim. Mas, infelizmente, entre pilotos de equipes diferentes eles estarão sempre presos às performances de seus carros.

    • Daniel Gomes disse:

      Kobayashi mais piloto que Barrichello…

      É cada uma que a gente tem que ler nessa internet!

  10. celso gomes disse:

    Deixa eu dar uma colherada aí nessa sopa. A realidade para mim que o Rubello não emociona. As corridas dele são tal e qual um jogo de futebol sem gols. Nessas “trocentas” corridas que ele já fez em “mil” anos, quantas realmente são lembradas como diferenciadas nas quais o ele se sobressaiu de uma maneira incontestávelmente positiva. Infelizmente, pouquíssimas. Umas 15, 20 ou até 30 no máximo. Para o meu gosto como torcedor, isso é broxante. Podem falar que é acertador, etc e tal e que se não fosse bom não estaria a “mil” anos por lá. Até concordo parcialmente com isso, mas para mim, ele não consegue me fazer levantar do sofá e aplaudi-lo. Não tem jeito. Gostaria de tê-lo admirado como um piloto diferenciado, e não como um piloto que já tem “plaquinha de patrimônio” na F1, e só.

    abçs a todos

    • Anselmo Coyote disse:

      Celso,

      Essa história de estar lá há 20 anos é um engodo. O porteiro de um prédio próximo à minha casa está lá há mais de 30 anos. Já está bem velhinho é a simpatia em pessoa e vai aposentar. Ele sequer sabe ler. Distribui a correspondências nas caixas, varre a recepção, atende o interfone, cumpre o horário dele e vai embora. Trocá-lo pra quê? E estar lá por esse tempor faz dele um porteiro excepcional? Não.

      O prédio é modesto com moradores antigos e pacatos. Se mandarem ele embora ele arruma outro prédio pra trabalhar. E os condôminos terão que arranjar outro desconhecido para fazer a mesma coisa. E daí?

      Mas, se ele for para a portaria de uma grande organização, com riscos, câmeras, telefonia automatizada e outras exigências maiores ele não segura a onda. Vai fazer igual alguém fez na Brawn. Virará auxiliar de alguém que realmente faça a diferença como alguém aí na Ferrari.

      Sinto muito, mas não tem jeito. O tempo necessário para ganhar experiência e fazer a diferença não é tão grande. Uma vez com certa experiência é preciso a chance em algum carro competitivo. Só isso.

      Para o Hamilton bastou um ano, para o Piquet uns 2, para o Senna uns 4, para o Schumacher uns 3 e por aí vai.

      F1 para o Rubinho virou emprego de porteiro há muito tempo.

      Abs.

  11. celso gomes disse:

    Complementando. Sem tesão, não há solução.

    abçs

  12. Anselmo Coyote disse:

    O Rubinho na F1 é igual a índio em filme de faroeste: desde o começo sabe que vai morrer no final.. kkkkkk!!!!

  13. celso gomes disse:

    Pois é Coyotin, concordo inteiramente com essa do porteiro.

    Essa porra de F1 é uma COMPETIÇÃO onde, que eu saiba, o objetivo principal de cada piloto que dela participa é o de ganhar, o maior número de vezes possível e de forma bonita e convincente ou que, mesmo que não vença tanto, demonstre qualidades diferenciadas e que o faça sobressair-se dos demais competidores, inclusive para ser lembrado e admirado pelas gerações futuras como um “ícone”. Entrar no rol dos melhores entre os melhores é o objetivo de cada um deles por lá, sem sombra de dúvida.

    Dou um exemplo clássico por aqui. Gilles Vileneuve – de quem eu, particularmente ,não sou fã por nunca haver admirado o estilo “deixa que eu chuto” nada cerebral dele – é um piloto que encheu os olhos dos torcedores do mundo inteiro e é lembrado com muito mais intensidade do que o próprio filho, que teve uma carreira numéricamente mais vitoriosa que a dele, mas absolutamente sem sal.

    A “porralouquice” no caso dele produziu um diferencial que o faz ser lembrado até hoje. E não duvido, que daqui a 40 anos, quem vai continuar a merecer a atenção e servir de exemplo para os torcedores e até para os pilotos, é ele Giles, e não um piloto que somente tenha sido parte da decoração da casa, por um loooongo número de anos.

    abç

  14. celso gomes disse:

    Outra coisa Coyotin, essa “ressurreição” do Rubello (entre os torcedores tupiniquins) está ocorrendo pela absoluta falta de pilotos diferenciados entre os atuais brasileiros participantes do mundial de F1 e até da falta de perspectiva do Brasil ter um a médio prazo. Quem vai se lembrar, daqui a uns poucos anos, que a Williams em 2010 chegou em + ou – em sétimo lugar no WCC ou que seu piloto acertador chegou + ou – em décimo lugar no WDC.

    Sabe quem perguntou por você? Ninguém!

    abção

  15. Anselmo Coyote disse:

    É por aí.
    Meu time foi cmapeão ano passado. Esse ano está um m.rda. E a casa caiu por lá – ficou claro que quem manda lá é um grupo de bandidos. Dá tristeza, mas é isso. Não adianta por panos quentes. A realidade é essa e ponto final.
    Abs.

  16. Allan Wiese disse:

    Celso, isso que você falou é uma grande verdade. Rubens é ainda bem visto por falta de outros brasileiros. Uma pena. Nossa escola está ficando sem alunos porque não temos professores à altura.
    Eu concordo, em partes, com os argumentos seus e do Coyote em relação ao Rubens. Ele está lá a muito tempo, sim. Ele é um piloto médio, sim. Mas ainda dou um certo mérito a ele por conseguir se manter minimamente competitivo ao longo desses anos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s