Prost diz que Schumacher está velho.

Publicado: 19/10/2010 por Allan Wiese em Artigos, Notícias
Tags:, ,

Michael Schumacher: acertou ou não em voltar? Prost acha que não.

Joe Saward publicou em seu blog um texto onde Alain Prost, tetra campeão da categoria, fala sobre a volta de Schumacher e os motivos pelos quais ele acha que Michael não conseguiu se adaptar novamente à categoria.

Ele fala (tradução livre):

Para mim, é apenas uma questão de idade. Eu penso que os pneus são apenas uma desculpa porque Schumacher sempre se adaptou a qualquer tipo de carro. O fato é que não é possível voltar ao ao topo na idade em que ele está depois de ter estado fora por três anos. É uma questão de fisiologia. Ele deveria ter dito que estava voltando para ajudar Rosberg ou a Mercedes em seu primeiro ano ou seu amigo Ross Brawn. Isso teria sido mais fácil para ele. Pode ter sido uma falta de humildade e acho que ele se via sendo mais forte do que de fato foi.

Saward continua sua matéria falando que há diversos rumores rondando o time alemão. Um deles é o de que Haug poderia estar sendo substituído por Michael no time. Mas Joe acha isso pouco provável, devido ao grande histórico de conquistas de Norbert dentro da Mercedes (incluindo títulos com a McLaren além de conquistas como 500 milhas de Indianápolis e outras na Indy Car, títulos no DTM e Formula 3).

A questão que Saward levanta é a credibilidade desses rumores ou se são apenas “bater” em Michael, já que seria pouco provável a troca entre Schumacher e Norbert Haug.

comentários
  1. Vitor, o de Recife disse:

    O boato de Schumacher no lugar de Haug não tem chances. 2011 será vital para a Mercedes, eles jamais trocariam alguém com um currículo como Haug por Schumacher, que é (ou foi) um pilotaço mas não tem nenhuma experiência como dirigente.

    Sobre o palpite do Prost, vejo como coerente. Schumacher já estreou em carros distintos como Jordan, Bennetton e Ferrari, e adaptando muito bem a todos. Um piloto com sua capacidade superaria as dificuldades dos pneus… se estivesse no auge. Andar constantemente atrás de um “moleque” como Rosberg também é uma experiência nova para ele. Duvido muito que volte “arrebentando” em 2011; mesmo que a Mercedes faça uma “Red Bull” na próxima temporada, as chances de vermos Rosberg liderar as dobradinhas são maiores.

    • Allan Wiese disse:

      Vitor.
      Bem por aí. Tanto Prost quanto o próprio Saward acertaram em suas análises.
      O maior erro de Michael foi superestimar a sua capacidade de se adaptar à categoria depois de tantas mudanças. Se ele não tivesse parado, talvez não teria sentido tanto a falta dos testes que eram liberados em sua época. E os pneus são um problema e uma desculpa ao mesmo tempo. Desculpa porque ele já teve tempo para aprender sobre eles. E problema justamente porque ele podia testar e conversar com a fornecedora de compostos.
      E quanto ao Haug, também acho que a Mercedes não faria essa troca. Um currículo como o dele não se substitui assim, da noite pro dia.

    • Anselmo Coyote disse:

      Vitor,

      Penso diferente.

      1o. F1 é corrida de carros e por isso eles representam pelo menos uns 95% na disputa. Tanto que com carros bons tivemos como campeões Hill, Villeneuve, Keke Rosberg e mais recentemente Jenson Button. Se esses conseguiram, um hepta campeão também conseguiria. A capacidade dele em relação aos outros faria a diferença e equilibraria a questão relativa à idade (se é que isso realmente conta).

      2o. A questão da idade é de somenos importância; afinal não estamos falando de nenhum septuagenário. A F Indy é muito mais rápida do que a F1 e os carros são iguais. Ali a disputa é de pilotos (o Kobayashi lá arrebentaria a boca do balão). Voltando ao assunto, nestas condições o Emerson Fitttipaldi foi campeão da Indy com mais de 40 anos e correu competitivamente até os 49.

      Na sua última corrida na Indy ele disputou liderança pau-a-pau com o Mansell, chegando a trocar de posição com ele 07 vezes e uma única volta, andando a quase 400 km/h. O Schumacher não tem 49, mas 41 e é um atleta que sempre se cuidou e é hepta campeão.

      3o. Questão relevante, para mim, e que está “pegando” para o alemão são os 03 anos afastado da F1. Mas em 2011 não estará mais.

      4o. Desta forma, se a Mercedes fizer um Red Bull 2010 ou um Brawn 2011 o alemão ganha *. Eu não desdenharia um sujeito com esse currículo. De jeito nenhum. O contrato dele é de 03 anos e eu vou aguardar até o final.

      5o. Quanto ao Prost… bem, o Pelé parou de jogar futebol há quase 40 anos e vive de mídia. Ele está certo. Se alguém paga pra ouvir, por que não falar?

      (*) Eu devia ter escrito “ganhará”, por causa do “se”, que remete o verbo para o futuro, mas eu perderia impacto no embate…rsrs).

      Grande abraço, Vitor.

      • Vitor, o de Recife disse:

        Rssss…

        Claro, não tem nenhum vidente por aqui e somos todos palpiteiros. Mas há uma diferença enorme entre a exigência física de uma F1 e a Indy. Quem me lembrou isso foi o nosso colega-piloto Claudio Cardoso com um exemplo bem convincente: Paul Tracy, um péssimo exemplo de condicionamento físico, correu na Indy ano passado e retrasado. Foi inclusive competitivo em uma corrida nas ruas de Toronto.

        De fato os três anos longe fizeram falta ao alemão, assim como fizeram a Mika Hakkinen naquele último teste que ele fez pela McLaren em 2008. E olhe que o finlandês estava em atividade no DTM…

        Ainda acho que o tempo do heptacampeão passou. Não que isso diminua seu valor, mas o tempo é implacável e isso vale pra todos. Foi assim com o Piquet ou o Lauda. É o ciclo natural das coisas.

        Abraço.

  2. Francisco Bandeira disse:

    Concordo plenamente com Alain Prost, Vitor,Allan Wiese, pelo principal motivo abaixo:

    Em sua dominação da F1, Michael não tinha Hamilton, Alonso, Vettel, Nico, fora os emergentes com Webber. Essa galara não facilitaria e não facilitará nada pro Hepta Campeão. Ele terá que suar muito, mesmo com carro bom. Ferrari , Maclaren e Redbull não estão ái pra brincadeira.

  3. Lucas Túlio disse:

    Alemão Picareta!

    Ta tomando pau o ano inteiro e que continue assim, ate resolver largar de vez a F-1 e ir curtir a grana acumulada na carreira!

  4. Anselmo Coyote disse:

    Vitor e Allan,
    Até aqui, só achismos de parte a parte.
    De qualquer forma, fico com o meu que é menos afoito, mais cauteloso e não briga com o tempo, o senhor da razão.
    Ao fim e ao cabo, querendo ou não, é o que deverão fazer também os que tem opinião diferente da minha.
    Abs.

    • Allan Wiese disse:

      Seus pontos foram interessantes Coyote. Talvez eu não tenha me expressado bem em meu comentário de resposta ao Vitor, mas acho que os pneus estão de fato atrapalhando o “velho”. E, na realidade, torço pra que ele se adapte bem ao W02. Quanto maior o número de bons pilotos na disputa, melhor. E se tivermos um Michael defendendo posição como bem sabe, melhor ainda.
      Concordo contigo em relação à predominância do carro na performance final. Infelizmente.
      Mas a vida está mais difícil pro alemão agora e acho que você mesmo vai concordar: de seus títulos, ele brigava com no máximo dois pilotos no início da temporada e, quando chegava a esse ponto, um piloto no final da temporada. Mas, como o Francisco Bandeira falou, na F1 de hoje, temos muito mais pilotos de qualidade em carros de qualidade…

  5. Anselmo Coyote disse:

    Allan,

    Concordo com vc em parte. Mas eu destaco que eu falo é das qualidade do Schumacher, como falo das do Hamilton, do Nada Sei e do Kobaiashi. Os caras são bons em si mesmos. Se houverem adversários à altura a disputa será melhor para nós, fãs. Se não houver não será culpa deles. Eles continuarão com suas qualidades.

    Logo que o Schumacher começou a correr o Nelsão, o Prost, o Nigel Mansel se aposentaram, o Senna morreu e por aí vai. A culpa é de quem? O piloto não podia pegá-los pelo laço e obrigá-los a continuar.

    Mas essa história não é bem contada. O cara foi campeão 7 vezes e não 1 na sorte. Se o Senna tivesse corrido até o 38 anos como ele e ganhado absolutamente todos os campeonatos não teria superado o alemão – apenas empatado com ele em títulos.

    Dia desses eu li de um comentarista no Felipe Motta que o Schumacher não sabia ultrapassar e que somente o fazia nos boxes. Putz. Mandei o cara assistir só a última corrida dele onde, por baixo, ele fez umas 15 ultrapassagens, inclusive uma de arrepiar os cabelos sobre o meu predileto Kimi Raikkonen, na entrada do “S” em Interlagos.

    Então, a questão é essa: até que ponto nós enxergamos realmente as qualidades dos pilotos que não são nossos prediletos.

    De minha parte eu digo: não gosto do Alonso porque ele é um picareta. Mas dizer que ele não é um piloto ele excelente seria pagar um mico enorme. Muita gente aí disse que ele ia tomar pau do Massa, que o Massa conhecia melhor o carro, era amigo de não sei quem etc… e olha o que está acontecendo. O Massa, com 10 anos de F1, está apanhando mais do que o Nelsinho em seu ano de estréia.

    Dizer que um heptacampeão é um mero dick vigarista é empobrecer demais o debate. Eu nem respondo a esse tipo de comentário.

    Abs.

    • Allan Wiese disse:

      Sem dúvida Coyote. Ganhar tantos títulos mais do que comprova o seu valor. O maior problema do Schumacher no Brasil é que ele ganhou 5 dos seus títulos em cima do teu “amado” Rubens e isso faz sua imagem ficar arranhada por aqui, ainda mais pelos episódios de Áustria e afins.
      Com relação às ultrapassagens: a última prova de Schumi em 2006 foi uma aula. Coisa mais linda!
      Tem uma série de vídeos mostrando as ultrapassagens do Hamilton na F1 e, no primeiro deles, tem um comentário sobre uma manobra de Hamilton sobre Kimi que diz: “Schumacher is out, overtakes are back”. Se Michael não fosse ultrapassador esse comentário não existiria.
      Torci muito pra que ele se aposentasse como octa-campeão em 2006, mas não deu.
      E torço pra que ele dê uma canseira na piazada ano que vem, hehehe… Como você disse: quem ganha somos nós!

      • Vitor, o de Recife disse:

        Na verdade a imagem do Schumacher não é queimada só aqui no Brasil; leia tópicos sobre o alemão no mundo afora e verá que tem muita gente que não gosta do Queixada por suas atitudes desleais (94, 97, Monte Carlo 2005…).

        Mais o Coyote frisou bem: é preciso separar falhas de caráter do talento do piloto. E sobre o alemão “passar só em boxes”… bem… fazer o que se o cara correu na era em que ultrapassar era proibido? Fora que na maioria das vezes ele largava na frente…

  6. Rodrigo Pedrosa disse:

    Acho que Schumy deu azar de ter um Rosberg em muito boa fase, talvez se ele tivesse um companheiro que não estivesse tão melhor não teria este tipo de comentários.

  7. Rodrigo Pedrosa disse:

    Sim mais uma coisa, particularmente acho que ele não deveria ter voltado, poderia ir correr de Indy, Prototipos, Ralli, Moto…
    Mas voltar a F-1 não foi bom negocio, mesmo ele sendo vencedor, não era mais o momento, como falei no meu topico sobre Jacques, nem todos são como Pelé, que soube a hora certa de parar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s