FW14b. Em o melhor carro de todos tempos.

Publicado: 31/10/2010 por Claudemir Freire em Artigos, História da F1
Tags:, , ,

Williams FW14b.

Produção: 19911992

Motor: Renault RS3 V10 aspirado Renault RS4 V10 aspirado (B)

Cambio: Williams/XTrac semi-auto T 6 velocidade.

Alguém um dia disse que achava que o MP4/6 foi um guerreiro e lutou bravamente com Ayrton Senna pelo título da temporada de 91 contra o FW14 de Mansell e Patrese, mas seu sucessor o MP4/6B e 7A tivera uma batalha inglória, foram 10 vitórias do surpreendente carro projetado por Adrian Newey em 91 e aperfeiçoado em 92, esse maravilhoso bólido foi dominante e aclamado um dos melhores carros de todos os tempos na F1.

Sua história é muito peculiar e remete aos anos 80, mais precisamente 87 quando a Williams lança a suspensão ativa em seus carros e Nelson Piquet aperfeiçoaria o seu funcionamento ao ponto que seus resultados foram expressivos com o  dispositivo dando-lhe algumas vitórias no início daquele ano, já seu parceiro tinha grandes problemas de adaptação e até que o bairrismo de Patrick Head tirou o engenhoso sistema dos carros na temporada para beneficiar o “idiota veloz” Nigel Mansell, mas daí ele, Head, tiraria muitos ensinamentos daquilo que seria o trunfo para as temporadas de 91, 92 e 93.

Com a chegada dos motores Renault em 88, no ano anterior havia sido confirmada a saída dos motores Honda para a Mclaren e Lotus, a parceria de trabalho foi perfeita a simbiose de ambos projetos casou com o carro de 1991 o FW14.

O projeto concebido por Adrian Newey teve como base o Leyton House ou March como queiram, CG901 de 1990, carro espetacular em pisos sem ondulações, mas uma draga em pisos irregulares, para se ter uma idéia chegou a fazer dobradinha no GP da França até a metade da prova, com Ivan Capelli e Mauricio Gugelmim, mas perdeu a primeira posição para Prost e fim da corrida terminou em segundo lugar com o piloto italiano já o brasileiro acabou abandonando. Numa época que Mclarens e Ferraris eram dominantes andar no bolo com elas era raro. E no México não chegou nem a classificar os dois carros devido ao excesso de ondulações da pista.

Então a aposta de Patrick Head seria que com a idéia de Newey e a suspensão ativa no carro da “March” seria a perfeito, então não perdeu tempo e pôs em prática a idéia, contratou aquele que viria a ser o mago da aerodinâmica no fim daquela temporada de 1990 e já em 1991 o FW14 foi para a guerra e seria um grande guerreiro, mas tinha problemas para serem resolvidos, então começaram a trabalhar no projeto de 1992, o FW15, já no meio da temporada corrente de 1991, só que a melhora progressiva do FW14 foi tão significativa e constante que eles abandonaram o projeto e começaram a trabalhar mais e mais no carro “velho”.

Então, surge um dos carros mais dominantes de todos os tempos.

Com suspensão ativa e um dos melhores motores V10 que já passaram pela F1, o carro simplesmente foi brilhante, venceu 10 corridas, não deu chances aos seus rivais e estes não tiveram tempo de saber o que estava acontecendo. Apenas Senna com 3 vitórias, Schumacher em Spa e 2 de Gerard Berger quebraram essa hegemonia, fizeram 6 dobradinhas, 15 poles e 164 pontos no mundial de construtores. Números que até então só poderiam ser rivalizados com o Mclaren MP4/4 de 1988.

Senna a certa altura do campeonato chegou a declarar que o carro da Williams era de outro mundo, as especulações chegaram a tanto, que alguns concorrentes no paddock começaram a dizer que o carro tinha um radar embutido no bico, que rastreava as ondulações da pista e mandava para o computador de bordo e devolvia a informação para a suspensão ativa que fazia a correção.

O ponto alto daquela temporada seria a batalha de Mônaco, onde mais uma vez por imperícia de Nigel Mansell na volta 70 tocaria no muro furando um dos pneus e precisou de uma parada extra e voltou atrás de Senna, assim dando um espetáculo para passar o brasileiro sem conseguir terminou em segundo lugar a menos de 2 décimos do carro da Mclaren.

Esse carro talvez tenha sido o melhor carro da F1 em todos os tempos, mas sua dupla de pilotos não foi a sua altura e isso o relega a um dos melhores e não o melhor, mas se pegarmos por tecnologia e desenvolvimento ele foi sem precedentes na categoria, não conheceu rivais a altura, até que a FIA de Max Mosley baniu os recursos eletrônicos em 1994 e veio a nivelar por baixo os carros e o trazer ao nível dos meros mortais.

comentários
  1. fernando-ric disse:

    Amortecedor pra que? Show de carro!

    E quem quiser ficar louco, veja isso:

    http://www3.towerhobbies.com/cgi-bin/wti0001p?&I=LXGS50&P=7

    Escala 1/12 e super detalhado.

  2. Mari Espada disse:

    O carro da Williams era um monstro! E o projeto vinha forte desde 86, ainda sem suspensão ativa. Ou seja, esse recurso sozinho não faria milagres, se o projeto do carro não fo9sse espetacular. Obra de Adrian Newey, né? Não dá para esperar menos doque isso… o cara é um gênio!

    Olha essa foto do GP da Espanha, onde Senna venceu Mansell por apenas 0,014 segundo. E veja o que estava escrito dentro do cartão de natal da Lotus para o Senna, o qual essa foto estampava a capa. O Peter Warr foi bem humorado nesse pedido de “poupe meus nervos, ganhe com folga!”.

    E sem dúvida foi o maravilhoso FW14b que levou Senna para a Willians em 94. Claro que o fato da Honda sair da F1 e deixar a McLaren com motores Ford deram um empurrãozinho extra. Mas não tenho dúvidas que o sucesso desse carro vencendo com Mansell em 92 e com Prost em 93, foi o que conquistou o coração desse meu herói.

    Então, apesar de eu ser McLarista, eu respeito profundamente esse passado glorioso da Williams! E só não afirmo que o FW14b foi O MELHOR carro, porque não tenho conhecimento para avaliar e comparar diversos carros de diversas épocas, mas certamente ele está entre os melhores…

    Beijos, Mari.

  3. fernando-ric disse:

    “…o carro tinha um radar embutido no bico, que rastreava as ondulações da pista e mandava para o computador de bordo e devolvia a informação para a suspensão ativa que fazia a correção”

    Mas não é isso mesmo?

    • Felipinho disse:

      Pra que isso tudo, era so rodar na pista nos treinos, mapear os pontos, salvar na base de dados e programar a suspensão para cada trecho.. simples assim, nada de “outro mundo”…

    • Não, não tinha uma espécie de radar doppler, e sim uma programação por amostragem onde o piloto dizia o que o carro tinha de dsempenhar em cada trecho da pista.

      Doppler foi aperfeiçoado em 1989 para a aviação, imagina o quanto demoraria pra F1.

  4. Vitor, o de Recife disse:

    Realmente, a única coisa que separou o FW14b do MP4/4 foram os pilotos. Os dois foram modelos excepcionais, mas a McLaren contava ainda com dois dos melhores pilotos do grid em suas fantásticas máquinas. Faltou isso à Williams…

    Parabéns pelo post, Claudemir.

  5. wilson disse:

    batida fantastica na DTM neste fim de semana

  6. wilson disse:

    Nelsinho Piquet de Ferrari ganha corrida no sabado e chega em oitavo no domingo na parceria com alvaro parente

    No dia seguinte a sua vitória na estreia com a Ferrari 430 GT2 da Aurora Racing Team, Nelsinho Piquet e o português Alavaro Parente acabaram em oitavo lugar hoje na segunda corrida do final de semana da International Open GT em Barcelona.

    Largando da pole, Parente caiu para a terceira posição. Ultrapassou um adversário na volta inicial, mas foi prejudicado pela entrada do safety car quando se aproximava para tentar assumir a liderança. A interrupção do ritmo normal da corrida prejudicou a dupla da Aurora, que tinha como estratégia abrir vantagem antes da parada obrigatória para troca de pilotos. Vencedores na véspera, eles tiveram que esperar 15s extras no pit stop, conforme previsão das regras da categoria. Com isso, o português entrou nos boxes na vice-liderança, mas Nelsinho acabou saindo apenas em sexto lugar.

    O piloto da Nascar Truck Series ganhou mais duas posições na pista, cruzando a linha de chegada em quarto lugar. A dupla, porém, acabou punida por um erro na parada nos boxes e teve mais tempo acrescido no seu desempenho, caindo para a oitava posição.

    Mas o contratempo não minou o humor de Nelsinho: “Estou muito feliz pela vitória de ontem. Foi um resultado fantástico, considerando as dificuldades que tivemos e o fato de eu e o Alvaro estarmos correndo juntos pela primeira vez aqui. Gosto muito da pista de Barcelona e fiquei bastante contente neste final de semana. Fizemos o melhor possível hoje, mas foi impossível vencer por causa da penalidade no tempo que tivemos que cumprir pela vitória na véspera. Quero agradecer à equipe, que fez um ótimo trabalho no final de semana e nos possibilitou ganhar ontem. O champanhe no pódium teve um sabor muito doce!”, declarou o piloto brasileiro.

    autoracing

  7. wilson disse:

    montoya na fase final da nascar em taladega (maior oval do mundo) sai na pole e chega em terceiro

  8. wilson disse:

    Kubica participa em rally e brilha

    Robert Kubica, piloto da Renault na Fórmula 1 e adepto confesso dos ralis voltou a brilhar este fim de semana na sua modalidade ‘hobby’. No final do primeiro dia de prova do Rally Trofeo Maremma, era líder da classificação geral, frente a vários pilotos com Peugeot 207 S2000. hoje, no segundo dia, depois de ter perdido tempo na especial mais longa, (32,4 km), o piloto da Renault F1 cedeu o comando a Andrea Cortinovis (Peugeot 207 S2000), e terminou a prova na terceira posição, dando um ‘calendário de três minutos e meio ao segundo melhor da sua classe.

  9. Anselmo Coyote disse:

    “Sua história é muito peculiar e remete aos anos 80, mais precisamente 87 quando a Williams lança a suspensão ativa em seus carros e Nelson Piquet aperfeiçoaria o seu funcionamento ao ponto que seus resultados com esse dispositivo, … ” Perdoe-me a ignorância, mas para mim tá faltando coisa aqui.

    Abs.

  10. Alex-Ctba disse:

    Esse carro é realmente incrível e eu já opinei antes em um debate promovido aqui no blog sobre os grandes carros de F1 de todos os tempos, trazido na esteira do incrível RB6. o Fw14B figurou ao lado de MP4/4, F2002 e F2004. Na minha opinião o FW14B é o melhor e só não ganhou tudo em 92 pq Mansell e Patrese não eram pilotos do mesmo níivel de um Senna e Prost. Alem de em 92 Senna e Schumacher ocuparem cockpits adversários.

    • Allan Wiese disse:

      Isso prova que mesmo grandes carros precisam de grandes pilotos. Com certeza o domínio do RB6 seria maior se seus pilotos fossem um pouco mais constantes…

  11. wilson disse:

    alonso poderá usar motor baixissima kilometragem em abu dabi

    A situação dos motores de Fernando Alonso não é tão ruim quanto parece na teoria, de acordo com uma publicação alemã.

    O líder do campeonato já usou sua alocação de oito motores em 2010, e corre o risco de sofrer uma punição de dez posições no grid se precisar utilizar uma nona unidade antes da etapa final. De fato, o GP do Brasil deste fim de semana será o último que ele terá de fazer com um motor com alta quilometragem, explicou a Auto Motor und Sport.

    Um dos oito motores de Alonso tem uma quilometragem muito baixa, mas ele não pôde utilizá-lo porque foi substituído após a classificação na abertura da temporada no Bahrain. As regras só permitiram que a Ferrari reinstalasse esse motor para treinos livres, depois de ter sido substituído no Bahrain como precaução devido ao superaquecimento do F60.

    Contudo, por Abu Dhabi ser a corrida final da temporada, Alonso poderá utilizar qualquer motor de sua alocação, e a unidade da classificação no Bahrain tem uma quilometragem extremamente baixa.

  12. wilson disse:

    Hulkenberg: 15 milhões de euros

    ele vale isso? especulação? jogo de cena para outra questão? será que o piloto deseja isso?

    http://autoracing.virgula.uol.com.br/news.php?id=66352&cat=FORMULA%201&tit=Williams+quer+que+Hulkenberg+assine+contrato+de+cinco+anos

  13. Sirlan Pedrosa disse:

    Claudemir,

    Como você descreveu, o FW 14b era um carro inovador. Reunia num só projeto a genialidade de Newey no campo aerodinâmico com a fantástica suspensão ativa que Patrick Head vinha desenvolvendo na Willimas a vários anos.

    Realmente tivesse a Williams uma dupla de pilotos mais forte, ou principalmente não houvesse um tal de Ayrton Senna entre os adversários, seguramente eles teriam vencido muito mais corridas.

    É quase impossível não querer compará-lo ao MP4/4, que em termos de números absolutos e relativos foi superior.

    O fato é que conceitualmente o MP4/4 não apresentava nada demais. Era basicamente uma evolução dos Mclarens vencedores desde 1985 com foco na redução de altura, por causa da influência de Gordon Murray. Tinha o melhor motor da época e os melhores pilotos. Ganhou tudo.

    Para mim entretanto, o melhor modelo jamais produzido foi o Lotus 72. Um carro que venceu corridas num intervalo de 5 anos.

    Um abração,

    Sirlan Pedrosa

  14. iDavid disse:

    Claudemir, muito obrigado por fazer esse post.
    Eu não duvidas que esse foi o melhor carro da Formula 1 de todos os tempos.
    Uma pena que tinha uma dupla de pilotos bem ruins…

  15. Will disse:

    “e o trazer ao nível dos meros mortais”

    Provavelmente causando as mortes de 94…

  16. Marcos disse:

    Claudemir eu concordo com você este foi o carro mais fantástico que já teve. A McLaren de 1988 tinha 2 pilotos muito fortes, a Ferrari de 2002 e 2004 tinha um só piloto forte. Já a Williams não tinha nenhum.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s