Cala a boca Galvão, deles…

Publicado: 11/01/2011 por Claudemir Freire em Artigos
Tags:, , ,

O Galvão Bueno inglês tomou uma rasteira do Burti e Reginaldo da BBC.

Jonathan Legard narrador da BBC na F1 não faz mais parte do quadro de funcionários da estatal britânica, seus companheiros de transmissão em 2010 David Coulthard e Martin Brundle lhe pediram a cabeça e prontamente a empresa aceitou, os então arquitetos desse plano serão responsáveis pelas narrações das corridas nesse ano de 2011.

Então fica a pergunta.

Poxa, bem que o Burti e Reginaldo Leme podiam puxar o tapete da voz padrão do esporte Global, mas pelo amor de Deus, não deixem a cargo deles a narração. E então, qual seria o fanfarrão a tagarelar nas manhãs dominicais que vocês escolheriam.

O meu seria:

Hoje não, hoje não, hoje sim, hoje sim, Cleber Machado. : )

comentários
  1. cah disse:

    Guilherme Arruda – ex Band sport club.

  2. Tomás Motta disse:

    Galvão inglês????????????

    Com o tempo, o corrido trabalho de cobertura da Fórmula 1 acaba permitindo um contato maior com os colegas da sala de imprensa e você vai criando afinidades além do tradicional “small talk” relacionado ao cotidiano do paddock. Um dos caras que eu aprendi a admirar ao longo do tempo foi Jonathan Legard, o narrador da BBC. Foi fácil identificar que ele faz parte de uma minoria que se preocupa em comparecer ao maior número de entrevistas ao longo de um final de semana, para sempre ter a visão ampla e aprofundada que é necessária para discernir oo que é real e o que é ilusório dentre as notícias que circulam no paddock. Não há nada mais irritante do que os preguiçosos que vão às corridas, escutam os pilotos de seu país e passam o resto do dia se atualizando do que acontece nos outros espaços pela Internet. Já basta os que fazem isso desde suas casas.

    Esse dinamismo era, para mim, a marca registrada dele. Sempre atuante, fazendo perguntas pertinentes e se informando de maneira meticulosa para estar preparado para as horas de transmissão que a tevê inglesa garante a seus espectadores. E ainda lhe sobrava energia para, ao final do dia, se juntar à turma dos atletas e dar uma ou duas voltas correndo pela pista. Hoje a BBC anunciou uma mudança no seu staff e ele ficou de fora. Aparentemente, as corridas serão narradas agora por Martin Brundle – um verdadeiro mala-sem-alça. Pena por Legard. Um sujeito bacana como ele vai fazer muita falta.–

    BLOG DO ICO.

  3. Anselmo Coyote (o menino aloprado) disse:

    Meus caros amigos.

    Não conheço esse garoto narrador recém-limado e agora que não vou conhecer mesmo. Mas, conheço o Ico – pelo blog, pelo credencial e pelos flashes na Band News, assim como todos vocês. Sinceramente, o que eu acho, por esse canais, é que ele (Ico) é um gentleman. Muito tranquilo, paciente, educadíssimo, sincero, enfim – acredito mesmo -, um excelente profissional e, acima de tudo, uma excelente pessoa.

    De repente esse narrador reune esses predicados além dos profissionais que o Ico descreveu com pleno conhecimento de causa – eu acredito no Ico. No entanto, como disse o Claudemir, para narrar ele pode ser sim um mala. Disso eu não tenho certeza.

    Porém, quanto ao Martin Brundle, se o Ico chegou a falar que ele é um mala, realmente ele é um mala. Então a coisa vai piorar, descambando para um pseudo-emocional desbragado ou para um tecnicismo árido com um dono da verdade brandindo um microfone.

    Bom, como dizem os jovens, “cada um no seu quadrado”. Não sei o quanto os britânicos estão preocupados com o quanto somos ultrajados por três décadas consecutivas por essa anta que responde pelo nome de Galvão Bueno. Sinceramente, acho que a preocupação deles conosco é algo equivalente a zero.

    Então, britânicos, virem-se. Ponto.

    Abs.

  4. Will disse:

    No fim das contas o Galvão já disse que só sai depois da Copa – e a Globo disse amém.

    Com os narradores do quadro global, não tenho esperanças…para F1 são todos estranhos.

  5. Alex-Ctba disse:

    O Galvão já foi bom narrando F1, muito bom por sinal. Depois da morte do Senna ele nunca mais se recuperou. Claramente perdeu um pouco do prazer de narrar F1, mas isso não importaria se ele continuasse a fazer um bom trabalho. Passou essas últimas décadas desesperado a procura de um novo Senna, para alavancar as transmissões e com isso iludiu o povo com o Barrichello (com a conivência deste ) que nunca teve chance na Ferrari. Assunto amplamente discutido nos fóruns de F1.

    Hoje em dia o Galvão é uma piada. Suas transmissões de F1, passaram de técnicas para cômicas. E o Reginaldo Leme acompanhou o narrador oficial na decadência. Eles tem apenas flashs da ótima dupla que foram no passado. Passou da hora da Globo renovar o quadro. Para mim, o melhor, dentre as opções existentes seria o Luis Roberto. Não gosto do Cléber Machado, que fala tantas besteiras quanto o Galvão. Vou poupar o Burti, que acerta mais do que erra e consegue fazer uma boa leitura da corrida no geral.

    Quanto ao Legard, já vai tarde esse mala. Mas devo reconhecer que o cara é bom. Ágil pra caramba e sempre narrava certo os acontecimentos. Um exemplo fácil. No GP da Austrália, após a batida do Hulk com o Koba, quando a TV mostrou um pedacinho da Sauber, o cara já tava identificando o carro, enquanto que o Galvão nem se tocou que era um carro parado na brita. Só depois do replay que ele foi falar.

    O Legard para mim é um mala, pq ele sempre tratou com desdém o Massa, assim como toda a mídia Britânica. Tudo isso bem antes do episódio da Alemanha. Mas acho que com o Brundle vai ficar pior, já que o cara é um mala ao cubo. Ainda assim as transmissões da BBC vão continuar dando de 10 a 0 nas da Globo e eu vou continuar baixando as corridas pelo torrent :-)

    • Allan Wiese disse:

      Queria ter visto o bom Galvão então, hehehe…

      Mas as transmissões da BBC são show mesmo. Sempre com matérias especiais. E quando a corrida acaba ainda tem mais uma hora de programa.
      A Inglaterra é realmente o templo do automobilismo e isso se percebe pelo tratamento que eles dão à F1 nas transmissões da mesma.

      • Hehe, não ia querer não.

        As narrações eram até melhorzinhas, mas o audio das transmissões eram um caos.
        Muitos aqui devem lembrar que o Galvão parecia que estava narrando a corrida dentro daqueles velhos banheiros químicos de lata, com uma TV de 10 pol no colo, suando feito um porco, porque o audio era horrivel.

      • Pronto, está aí um exemplo de como era ruim o audio.

    • Anselmo Coyote (o menino do cabelo verde) disse:

      “O Legard para mim é um mala, pq ele sempre tratou com desdém o Massa, assim como toda a mídia Britânica. Tudo isso bem antes do episódio da Alemanha.”

      Uai… então além de mala, conhecedor de corridas etc ele é também vidente, porque antes de todo mundo ele já previu que o Massa não passava de um bosta e o tratou como tal, ao contrário da imprensa brasileira e de muita gente mais. Pô… passei a gostar desse cara e a admirar mais ainda o Ico.

      Abs.

    • Anselmo Coyote (o menino do cabelo verde) disse:

      Alex,

      A competência do Galvão deve sim ser reconhecida. Ele sempre mostrou isso com brilhantismo, ninguém pode negar. Nisso eu dou minha mão à palmatória.

      Quando pensamos que ele é péssimo ele se reinventa e consegue mostrar que é muito pior. Vou selecionar alguns vídeos dele no youtube de muito antes de o Senna morrer e você verá as pérolas de burrice e arrogância.

      Abs.

      • Mari Espada disse:

        Quando eu estava achando que o Coyote ia me surpreender negativamente… “Quando pensamos que ele é péssimo ele se reinventa e consegue mostrar que é muito pior. ”
        Hahaha, estou rolando de rir! Obrigada!!! =D

        Beijos!

      • Anselmo Coyote (o menino do cabelo verde) disse:

        Uau!!!… a musa-gatinha comentando um comentário meu!!!!!! Não mereço tanto. Estou vendo estrelas multicoloridas… rsrs.
        Abs.

  6. Vitor, o de Recife disse:

    Bem, não conheço o sujeito, então fica difícil para mim fazer um parâmetro com o GB. Mas os ingleses tiveram um ícone chamado Murray Walker, que era famoso por soltar pérolas do tipo “Ayrton ultrapassou o Senna”. Como era uma pessoa muito gentil e querida no paddock – bem ao contrário do autointitulado “a voz do esporte brasileiro” (daí vocês tiram a pretensão da figura) – os erros de Walker eram tolerados e até ganhavam um aspecto folclórico.

    Enfim, o problema do GB não é errar; todo mundo erra. A bronca é que o cara ainda se acha o entendido e não dá espaço para quem de fato entende. Entende? (qualquer semelhança com o Pelé não é mera coincidência)…

  7. Ron Groo disse:

    O Ico defendeu o rapaz mais por consciência de classe do que por admirar seu trabalho. Afinal é um jornalista perdendo a vaga para um “prático”.
    É como se jogadores de futebol virassem narradores e tomassem as vagas dos profissionais…

  8. Mari Espada disse:

    Meninos,

    O Galvão é ruim sim! Não tem jeito!

    Mas desconsiderando o fator técnico (que seria ótimo poder apreciar), as manhãs de domingo não seriam as mesmas sem ele para falar merda e me fazer rir! Rir de nervoso quando ele fica botando a culpa no Miltinho pra qualquer coisa que acontece! E rir de desgosto porque ele não consegue nem identificar os pilotos em algumas vezes, quanto mais dar opiniões relevantes sobre o andamento da corrida! Mas, de toda forma, eu rio e muito!!!!

    Melhor rir doque chorar, né?

    E sabe de quem eu gosto? Não é narrador, é comentarista… mas vale, né? Gosto do cara do Sport TV, que comenta os treinos livres, Lito Cavalcanti (me corrijam se o nome estiver errado, pois minha memória é péssima). Acho ele de uma sinceridade sem igual… muito bom!

    Beijos!!!

  9. Alex-Ctba disse:

    Putz, eu já acho o Lito outro chato. Mas o GB era bom sim, comparado com o que ele é hj. Claro que eu, hoje, bem mais velho e mais crítico, posso ter ficado menos tolerante com as “Galvanadas do Bueno”, mas o cara falava o nome de todos os pilotos só vendo os carros passarem na reta, bem antes da diferenciação Vermelho/Amarelo do Santantonio de hj em dia. Hj em dia com esse recurso é muito mais fácil identificar o piloto e a duplinha global troca tudo

    O GB era ágil nos cálculos dos tempos, para passar as diferenças de cronômetro, já que a TV não dava tantas informações. Tinha também que fazer os cálculos quando a corrida era interrompida, já que permanecia a diferença dos tempos antes da interrupção. E ele se preocupava mais em narrar e deixava a parte técnica para o Leme. Hj em dia ele quer se meter em tudo, é um saco.

    Mas como disse a Mari, tirando o nervoso quando ele fala em cima do rádio, troca nome de pilotos, carros, etc, a gente além de uma corrida de F1, assiste tb a um progama humorístico.

    • Anselmo Coyote (o menino do cabelo verde) disse:

      Por falar em calcular tempo…

      Pára Alex… Essa mala sem alça sempre foi um farsante. E não é só na F1. No futebol, que nada tem a ver com a morte do Senna, ele sempre foi a mesma figura hedionda.

      Clássico é clássico e vice-versa, a bola saiu mas não saiu porque a física não permite, com omelete se fazem (sic) ovos… parei. Não posso passar o resto do dia enumerando as (melhor não falar).

      Mas tudo bem. Vc é o meu querido amigo Alex e eu o cornetador (título que eu acho injustíssimo).

      Abs.

      • Vitor, o de Recife disse:

        Como assim “título injusto” Coyote? Não seja modesto! Ser cornetador é uma arte! Ser mala sem alça é fácil, mas saber se manter linha tênue que separa um cornetador de classe de um chato de galocha é para poucos. Corneteiros sabem usar da picardia com a dose certa.

        Abraços rubronegos leoninos (campeão LEGÍTIMO e ÚNICO de 1987).

        PS: cadê a aula histórica sobre os leilões?

      • Anselmo Coyote (o menino do cabelo verde) disse:

        É… realmente, o cornetador sou eu.
        Vejam e julguem vocês próprios, meus amigos. E dêem suas sinceras opiniões (claro – se não derem é porque a frase diz por si só e vcs concordam comigo).

        Material para análise: “cadê a aula histórica sobre os leilões?”

        Abs.

  10. Alex-Ctba disse:

    Coyote, vc é o Fanfarrão oficial do blog. Como disse o Vítor aí em cima, cornetar é fácil, difícil é fazê-lo com classe, inteligência e bom humor, ou em outras palavras, falar mal do Coyote é fácil, difícil é ser ele hehehe

  11. Anselmo Coyote disse:

    Bom… por enquanto a maioria silente (gente educada, sacumé… que não gosta de barraco) concorda comigo que o título cornetador/fanfarrão é injustíssimo.
    Então, só me cabe agradecer emocionado à essa galera silenciosa.
    Abs.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s