Pilotos reclamam da Pirelli: Pneus são um desastre!

Publicado: 02/02/2011 por Claudemir Freire em Artigos, Formula1, Notícias
Tags:, ,

Os pilotos Fernando Alonso da Ferrari e Gary Paffet da Mclaren fizeram severas críticas ao pneus Pirelli nos treinos de ontem, tudo por causa da excessiva degradação do compostos e mais ainda no conjunto traseiro, causando sério desequilíbrios no carro.

Em reportagem ao site alemão Auto Motor und Sport, Alonso foi incisivo nas críticas:

O pneus se degradam bastante especialmente os traseiro e não são consistentes.

E continuando a falar sobre os compostos italianos ele subiu o tom da crítica.

Os pneus são tão ruins que chegam a ser perigosos

Já Gary Paffet piloto de testes da McLaren foi menos contundente em sua palavras mas não deixou de criticar:

Os padrões de desgastes vistos em Abu Dhabi definitivamente estão melhores, e estamos mais seguros com esses compostos apresentados até aqui. É útil entender como os pneus se desgastam, e como eles mudam o equilíbrio do carro.

Em defesa dos pneus Paul Hembery disse:

O plano de testes está sendo seguido e está tudo dentro do previsto e que até a primeira corrida todos os problemas estarão resolvidos.

De acordo com a maioria do insiders presentes em Valencia os pneus são um desastre anunciado e que a Pirelli não tem a mínima noção do que está acontecendo e está muito desorganizada. E para piorar as equipes não tem tido jogos de pneus suficientes para testar.

Opinião.

A Pirelli pegou um bonde andando, tem muito o que fazer, mas tudo se passa por organizar e planejar, e ao que tudo indica isso não está acontecendo até então. Culpa clara do pouco tempo que ficou para ela desenvolver seus compostos adequadamente desde o momento que foi oficializada como fornecedora única da categoria.

Se vai ser esse desastre anunciado pelos jornalistas, eu não sei, mas que ela corre contra o tempo para não ter seu nome manchado pela própria incompetência e inoperância da FIA, ela corre, e correr não é o melhor meio de resolver problemas.

comentários
  1. Allan Wiese disse:

    Isso é um grande problema.
    Com certeza o pouco tempo disponível para desenvolver seus compostos não ajudou. Mas eu acredito que a abordagem adotada pela Pirelli foi um pouco perigosa. Ela quis “garantir o show” desde o início. Minha opinião é de que ela deveria começar fazer pneus duráveis (com diferença de performance entre os tipos de compostos) e, com o tempo, fazer compostos um pouco mais “agressivos”.

    • Will disse:

      Concordo em tudo Allan, já havia feito esse comentário neste post:

      https://ultrapassagem.wordpress.com/2011/01/17/video-pirelli-testa-pneus-abu-dhabi/

      Tomara que haja tempo para rever essa estratégia de alto risco.

      Que já correu, nem que tenha sido de Kart, sabe que pneu é coisa séria.

      • Anselmo Coyote disse:

        Concordo.

        Pneu não é somente coisa séria. Absolutamente toda a tecnologia embarcada no carro é convertida em realidade através dos pneus em contato com o solo.

        Porém, se está ruim para todo o grid, a coisa está equilibrada. As equipes com carros melhores continuarão andando na frente desde que seus pilotos saibam controlar o desgaste e preservar ao máximo os pneus.

        De minha parte fico até em dúvida se assim não será melhor, com mais paradas, estratégias, ultrapassagens… Afinal, a F1 tem sido tão monótona que qualquer elemento que quebre o marasmo de algumas corridas é bem vindo, ainda que seja por incompetência da Pirelli, da FIA e de mais não sei quem.

        Quanto ao “perigo”, ora… os pilotos sabem como o carro vai se comportar. Então eles que se cuidem. Aprendam a andar na adversidade, façam jus ao título de “pilotos de F1” e justifiquem os milhões de euros que recebem.

        Quem tem medo de c.gar que coma gelo.

        Abs.

      • Will disse:

        Você tem razão, do meu ponto de vista só não gostaria de ver o que vi na GT3 esse ano…se for pra ter pneu que não aguenta tração e fura é melhor chamar a Kelly para produzir os da F1.

      • Anselmo Coyote disse:

        Ok, Will.

        São nossas opiniões. Porém, confundir a segurança de um carro da GT3 com a de um F1 é tomar Venus por Juno.

        Se houver no contrato da Pirelli cláusulas que a obriguem a produzir compostos que durem no mínimo um determinado número de voltas com um comportamento que normalmente se espera e ela não estiver cumprindo, basta fazer valer o contrato.

        É assim – preto no branco e vale o escrito.
        Se não for assim, é puro chororô. Eu não gosto de chororô. Gosto de corridas.

        Abs.

  2. Daniel Gomes disse:

    Não vejo como a Pirelli pode ser prejudicada nessa história. A culpa é da FIA, pra variar. E é bom que os pilotos têm que se preocupar em algo além de ganhar dinheiro e curtir a vida.

  3. Toninho F1 disse:

    A Pirelli é culpada sim, pois se nem no Brasil ela conseguiu fazer compostos adequados
    para a Stock Car e na GT3 para os Viper’s, imaginem se vão conseguir fazer para a F1.
    Culpa da Pirelli sim e com o endoço da FIA, que demorou muito tempo leiloando a vaga de fornecedor exclusivo para a categoria. Só espero que ninguem se machuque nesta bricadeira!

  4. Daniel disse:

    Acredito que esses problemas dos pneus Pirelli se deve principalmente a diferença de temperatura/clima que tiveram entre Abu Dhabi (bem mais quente) e em Valencia (bem mais frio). Lembrando que lá é inverno (apesar do sol, que não deve estar esquentando nada).

    Que eu me lembre, somente testaram com climas relativamente mais quentes e pista molhada artificalmente. Assim, essa pista com pouca temperatura é um cenário novo, ao que parece.

    • Will disse:

      Daniel,

      Mas nesse caso o problema seria baixa aderência e não desgaste prematuro.

      Salvo engano, o asfalto de Valência não é dos mais abrasivos da temporada.

      Imaginem usar esses compostos no verão Canadense?

      • Speeder_76 disse:

        Se o pior acontecer, explodirão a cada dez voltas…

      • Daniel disse:

        Não sou engenheiro, mas imagino que a pouca temperatura ambiente não está permitindo que o pneu chegue em sua temperatura otima de uso e então os carros começam a escorregar. Acho que isso também deve causar o desgaste excessivo.

        Por enquanto, não acho que a Pirelli seja 100% culpada. Ou será que todos na F1 imaginavam um pneu novo exatamente igual ao anterior? Acho que seria no mínimo amador pensar assim. Acho que na próxima bateria de testes (em Jerez, acho), a Pirelli deve levar outra “receita”.

      • Allan Wiese disse:

        Não sei se teria tempo suficiente Daniel. A Própria Pirelli, a não ser que eu esteja enganado, disse que esses pneus que estão sendo utilizados nos testes em Valência serão utilizados na primeira prova no Bahrein (agora eu acertei Will, hehehe).

  5. Speeder_76 disse:

    Agora mais a a sério:

    Acabei de fazer o meu post sobre este assunto, e como vocês, li o artigo no pitpass.com. Vê-se que em muitos aspetos, ainda tem muito com que fazer. É preciso dar tempo ao tempo, e aparentemente, a ideia deles de terem compostos que durassem pouco, para dar maior emoção nas corridas parece ter ido longe demais. A sete semanas de distância do Bahrein, vejo que as campainhas de alarme soaram alto e bom som em Milão.

    Como alguns disseram que por ali a organização e o profissionalismo não são nada, pelo menos comparados com os Bridgestone, acho que aqui, a FIA deu outro tiro no pé ao escolher os italianos em vez de, no minimo, terem exigido às cedências da Michelin. Agora todos pagam o preço, não é? Espero que façam pneus extra para Montreal, e que o Muro dos Campeões seja devidamente reforçado…

    • Will disse:

      Assinado embaixo Paulo…não gostaria de ver aquele muro carimbado por causa de pneus em frangalhos na 5ª volta.

    • Anselmo Coyote disse:

      Ih… acho que entendi errado. Se reforçar o muro não será pior para quem bater nele? A menos que se esteja querendo preservar a integridade do muro… rsrs.
      Abs.

      • Will disse:

        …reforçado com soft-wall…ufa, Coyote e sua perspicácia! Rsrsrsrs

  6. Fernando M. disse:

    Até acredito que a Pirelli tenha culpa no caso, mas não era exatamente uma das exigências da FIA o pneu desgastar mais? Claro que tem que se verificar se esse desgaste prematuro não é efetivamente perigoso…

    outra coisa que muda todo o panorâma é que todos estavam habituados aos Bridgestone, sabiam exatamente como eles iam se comportar… sobretudo a Ferrari, que tinha ligação umbilical com os japoneses. Será que os pneus são tão péssimos assim ou é apenas chororô de quem está apanhando pra se acostumar com eles??

    Eu acredito que se realmente o caso é tão grave a ponto de ser uma tragédia anunciada fico me perguntando cadê o endosso de todas as outras equipes, diretores, jornais etc etc etc reclamando efetivamente?

  7. Ffigueiredo disse:

    Pra mim isso é choro de piloto. (O povinho chorão!)

    Daqui uns dias tá todo mundo acostumado com o pneu.
    Se continuar assim, então o Button já é campeão antes do campeonato começar….
    E o Lewis vai ser o último em toda prova.

    Vcs realmente acreditam nisso? Nem eu nem ninguém.

    É choradeira de piloto.

    FF

    • Will disse:

      Sei não…

      Quando li um engenheiro da Pirelli falando em ‘dar show’ com pneu que desgasta fiquei realmente preocupado.

      Tomara que você tenha razão e isso seja exagero nosso.

  8. Edgas Mutute disse:

    Meu Deus, o que é isso?

    Somente dois incopetentes reclamando ja é assunto de alarme vermelho?

    • Will disse:

      Edgas, rsrsrsrs!

    • Barrichello já havia reclamado ontem, porém ele é um chorão de plantão, então não levei a sério…

      Vamos ver as entrevistas de hoje, quem serão os próximos…

      • Hamilton hopes “massive degradation” means more pit stops

        Hamilton dizendo de forma britânica que há uma degradação massiva dos pneus Pirelli.

        Mais um pra lista.

        Matéria completa no F1fanatic.co.uk

      • Allan Wiese disse:

        É, interessante o que ele diz.
        Também disse que os pneus se degradam rapidamente e que a coisa “fica interessante” em long runs.
        Achei interessante o fato de ele ter dito que preferia quando existiam mais paradas no passado, ao invés da única parada da última temporada. Espero que ele tenha aprendido a poupar um pouco os seus sapatos ano passado, já que ao que tudo indica os pneus irão muito rápido “pras cucuias”.

        Já falei disso em outras ocasiões: Hamilton é um dos caras que mais rápido se acostuma a alterações de regulamento. E disse que, apesar de ter de estar bem concentrado com os novos instrumentos, não terá problema em usar o KERS e a Asa Móvel. É uma das vantagens em ser um “pilotinho de autorama”, já que sempre esteve habituado aos botões, hahaha.

      • Replicando…

        Desde que não estourem a 300 km ou em curvas de alta, ok, não tô nem aí, os pilotos que se adequem aos novos compostos, mas se for o caso de haver riscos…

        O Hembery chama os japoneses da Bridgestone e compra um lote de pneus pra o ano todo e pinta assim:

        PIRELLI PZERO by Bridgestone :)

  9. Allan Wiese disse:

    Pode ser que sim, pode ser que não. Os pilotos vão se acostumar a isso, com certeza, já que são esses os compostos que irão pra pista em Dhubai.
    Mas se a preocupação se confirmar, não deixa de ser perigoso. Se o pneu tem um comportamento irregular nos tempos de volta ele pode também “enviar sinais” irregularmente, causando estouros mais difíceis de prever. E, ao invés de termos um campeonato equilibrado por causa dos pneus, teríamos um campeonato imprevisível por causa dos pneus.
    Além de nivelar por baixo. Os carros mais veloses teriam que diminuir o ritmo para não forçar demais os compostos.
    Posso estar viajando demais, mas temos que ficar de olho nas declarações de hoje, como disse o Claudemir.

  10. Marcelo (Cascavel) disse:

    Palma palma não priemos canico!

    acho muito cedo ainda, segundo a Pirelli o pneu vai mudar até o bahrein…e o Pneu é igual pra todos

  11. Cosmo Kramer disse:

    Contanto que não estourem, não vejo problemas em desgaste irregular. Piloto hoje em dia é tudo chorão.

  12. Kubica endossa o coro…

    “Digamos que eles têm uma degradação muito grande por isso vai ser muito importante gerenciá-los melhor e talvez mudar um pouco o set-up, a fim de durar mais tempo e extrair mais desempenho deles.”

    E continua…

    “[O balanço] é difícil julgar porque no final temos tantas coisas e os pneus estão dominando o equilíbrio do carro e o comportamento, por isso é muito difícil fazer qualquer comparação”, disse ele. ” Na verdade o sentimento não é tão bom. Mas por outro lado, Valência é uma pista muito diferente das outras e muitas vezes os carros não estão se comportando bem aqui. Então eu espero que este seja o caso e não terá que se preocupar muito com o que viu hoje.”

    • Fernando M. disse:

      Então, estava analisando todas essas frases e o que eu vi até o presente momento é que todos estão se batendo para se adaptar ao pneu e ao desgaste excessivo deles, mas o único que reclamou da segurança foi o Alonso… Apenas e tão somente.

      Ou seja, até agora está sendo aquilo que todos haviam pedido ano passado, pneus que desgastam muito rápido, aumentando a quantidade de pits… E, claro, se o pneu desgasta mais, mais difícil fica de guiar o carro.
      É o que parece… Mas claro que isso tende a mudar dentro de um mês ou um mês e meio se noterem que o desgaste não está sendo benéfico para o esporte.

  13. djow disse:

    Hamilton sobre o desgaste “excessivo” dos novos pneus:

    é interessante.

    O cara é um competidor nato.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s